Dias Toffoli, sobre a Lava Jato: ‘Não se pode falar que é golpe’

Em entrevista, o ministro disse que se tornou mais liberal ao entrar para o Supremo

O Supremo Tribunal Federal está mudando, aos poucos, algumas convicções do ministro Dias Toffoli. Uma delas é achar que mais liberdade e menos proibição é melhor para todos. “A proibição leva à corrupção, a liberdade leva ao controle”, disse, em entrevista ao Estado. “Eu penso num Estado menos intervencionista, com uma sociedade mais livre. Quanto mais a sociedade não depender do Estado, melhor.”

Lembrou que era mais de esquerda, mas que se tornou mais liberal ao entrar para a Corte: “Eu tinha uma formação católica social de esquerda – e continuo com ela. Mas me tornei mais liberal. Esse tanto enorme de processos judicializados talvez fosse desnecessário se houvesse menos Estado e mais sociedade civil”.

A Operação Lava Jato, disse, está em ritmo adequado de tramitação no STF, devido a sua complexidade, e enquadrada nas leis. “Jamais existiria a Lava Jato se não houvesse as leis aprovadas nos últimos anos pelo Congresso Nacional, e sancionadas pelos últimos presidentes da República.”

Questionado se algo na Lava Jato o incomoda, Toffoli respondeu que “existem meios jurídicos de tentar combater os excessos que possam ocorrer nessa operação. Não se pode falar que é golpe, exceção, que não é o juiz natural. Isso está tudo dentro do Estado Democrático de Direito.”

Em resposta à crítica feita na terça-feira passada pelo ministro Teori Zavascki de “espetacularização” na apresentação da denúncia contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, afirmou que “aquilo foi uma manifestação dele, que tem mais conhecimento sobre o caso”, e reiterou que é melhor um Estado Democrático de Direito do que um regime de exceção. “Aqueles que se sentirem prejudicados com algum tipo de excesso vão ter a justiça para se socorrer. A mim, não causa espécie.”

O chamado mensalão, ou Ação Penal 470, entrou na conversa quando o ministro observou que, às vezes, as coisas parecem não ter fundamento, mas, vistas de perto, têm. Citou o caso do ex-deputado federal José Genoino, que condenou. “Muita gente achava óbvio absolver o Genoino”, disse. “Eu trabalhei com ele, que foi meu chefe na liderança do PT, era um parlamentar admirado por muita gente, tínhamos uma relação. Eu votei pela condenação, porque tinha provas contra ele.” E no caso do ex-ministro José Dirceu, por ele absolvido? “Para a maioria dos colegas da Corte, o Zé Dirceu era culpado. Mas eu avaliei que não tinha prova.” E acrescentou: “Eu tenho de julgar de acordo com o que está nos autos e nas provas, e não pelo meu desejo”.

(Estadão Conteúdo)

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Fábio Luís Inaimo

    Togado vermelho traíra, vira casaca, ao ver o naufrágio petralha, corre para ver se se salva!

    Curtir

  2. Ataíde Jorge de Oliveira

    Liberal, — no Poder. Absoluto!

    Curtir

  3. Como confiar em um PTista? E o pedido de impeachment contra ele? Se finge de árvore. …

    Curtir

  4. Fábio Luís Inaimo… primeiro, essa conversa dele toda liberal é pura mentira, ele tentando vestir a roupinha de ovelha, mas sabemos que o lobo perde o pelo mas não perde a sana. Ele pra mim, enquanto não fizer justiça ao povo Brasileiro e condenar todos os processos envolvendo corrupção de todos os politicos (não só do pt, pmdb, psol, pcdob, rede mas também do dem, psdb)… Porque? porque quem tem bichinho de estimação corrupto é bandido.

    Curtir

  5. Bom dia Brasil.
    Muitas vezes, o criminoso, o chefe, não deixa pegadas e nem manuscritos de seus crimes e atos perniciosos que destroem uma nação, um povo, e tudo por um projeto de poder insano.
    Existem também, os que se deixam levar, devem favores e/ou são usurpados na sua consciência por bens materiais ou poder á eles conferidos de alguma forma pelo entes do poder.
    O problema está aí.
    Portanto, o domínio do fato criminoso, as evidências e indícios, bem como ações e citações que convergem para um só objeto, o crime, é suficiente para julgar e condenar os falsos messias, os chefes, os mentores, os manipuladores, e que nunca estão com as mãos sujas de sangue de inocentes.
    Por favor, trilhem o caminho da verdade, da razão, do saber, do bem e do coração, ele é virtuoso e sempre vence.

    Curtir

  6. Esse cara nunca poderia ter sido ministro do stf!

    Curtir

  7. Marcelo Almeida

    “Quanto mais a sociedade não depender do Estado, melhor.” Até o vermelho Toffoli já percebeu isso.

    Curtir

  8. José Carlos Lopes de Oliveira

    Como a VEJA, se considerá-la séria, pode perder tempo com esse esbirro do PT? Quem em sã consciência acredita numa só palavra que esse capachóide fala? ela serve apanas como prova viva das canalhices que o PT usou para aparelhar o Estado a seu favor, usando esse gente dessa laia.

    Curtir

  9. Já disse que deviam imitar o filme BASTARDOS INGLÓRIOS, quando “Bradão” fica revoltado com acordo que deixaria o nazista livre na America pós-guerra sem que ninguém soubesse de seu passado e de sua virada de casac. Ai se resolve a parada “tatuando” com uma faca a suástica na testa do meliante. Brilhante!!! Aqui poderiam estampar estrela na testa do ex-petralhas. Olha a faca…

    Curtir

  10. O Brasil precisa proibir que exista esquerdismo. Ele deverá ser considerado creme hediondo, com os esquerdista passando o resto da vida na prisão. Precisamos da volta da censura e do escola sem partido, só assim o Brasil vai pra frente!

    Curtir

  11. JOSÉ ROBERTO DE LIMA MACHADO

    …uma esperança. Louvável a sua autocrítica.Espero que não haja recaída, para o bem de todos nós (Estado de Direito/Democracia). Não existe esses valores, pelo menos na prática, em países que passaram,ou continuam presos, a esta concepção(Socialismo). Sua validade como “contraditório” ao mau capistalismo, já perdeu a validade.

    Curtir

  12. Mais liberal…sei……conta outra…

    Curtir

  13. Petista de carteirinha!

    Curtir

  14. Eduardo Da Plancha

    Ter este sujeito na suprema corte é uma piada, coisa de país de quinta.

    Curtir

  15. Poste petista.

    Curtir

  16. Marcondes Rodrigues

    Égua, se não fosse o moro, esse macho (de nome invocado), não ia saber o que era democracia. Seria bom acrescentar filosofia política na grade de direito. Ops, se ja tem, acho q faltou…

    Curtir

  17. Gilberto Goes Junior

    Não esqueçam a Grana de empreiteira que Levou a Firma de Advogado,da Ex Mulher Dele Defendendo Esquerdistas e Mafiosos Petralhas,assim como ele

    Curtir

  18. Osmerivaldo de Sa Alves

    Senhor ministro, o senhor falou bonito nessa entrevista, mas tem praticado o contrário, defendendo os Petralhas. De que lado o senhor realmente está agora?

    Curtir