Aliados discutem alternativas para o pós-Temer

Nos bastidores, partidos e políticos da base aliada de Michel Temer discutem alternativas para uma possível eleição indireta no Congresso Nacional

Enquanto o presidente Michel Temer (PMDB) se esforça para mostrar aos parlamentares ter condições políticas para permanecer à frente da Presidência da República, os próprios partidos da base de sustentação do governo se preparam para um possível cenário sem o presidente, seja por renúncia ou cassação pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Segundo o jornal O Estado de S.Paulo, a avaliação é que, se os grupos que dão apoio ao atual governo não apresentarem uma alternativa, crescerá o movimento pelas “diretas já”, com uma possível candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Na terça-feira, o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, deputado Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), retirou da pauta de votação a proposta de emenda à Constituição (PEC) 227. Apresentada pelo parlamentar Miro Teixeira (Rede-RJ), a proposta reduz o prazo em que é possível fazer a sucessão por eleições indiretas.

Com isso, os partidos passam a discutir inclusive nomes que possam assumir o cargo. Maior partido da base aliada, o PSDB ventila dois nomes: segundo o Estado, o consenso seria o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB); de acordo com o jornal Folha de S.Paulo, o presidente interino da legenda, senador Tasso Jereissati (CE).

É consenso de que uma peça-chave será o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles (PSD). Com as reformas econômicas, Meirelles se cacifou para permanecer no cargo em um possível nome governo – ou, então, ser ele mesmo o próximo presidente da República. Entre os deputados, surge ainda uma opção: que o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara e substituto interino de Temer em caso de renúncia ou cassação, seja efetivado no cargo – contra a possibilidade, o fato dele ser investigado no âmbito da Operação Lava Jato.

Sempre lembrado em crises políticas por transitar entre diversos grupos políticos, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ex-deputado federal e ex-ministro da Justiça e da Defesa Nelson Jobim (PMDB) é outro falado para a sucessão. Apesar dele ter sido ministro durante os governos dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff (PT), não deve ter o apoio do PT, segundo a coluna da jornalista Mônica Bergamo, na Folha – no entanto, o partido decidiu não vetá-lo.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Lugato Gmail

    Poutsssss

    Curtir

  2. Ataíde Jorge de Oliveira

    ALLi&nADO$ =>
    => 10$
    EMBARQUE
    No : jaBURU

    Curtir

  3. Hermes Alves de Matos

    Tirar uma porcaria pra botar outra só vai atrasar o país. Nomes citados: suspeitos, velhas carniças, esperto que vai aproveita o restinho pra roubar bastante… que molecagem, não?

    Curtir

  4. meu Deus… estamos fudidos, ou temos que ter a pena de morte pra mandar estes terroristas pro inferno ou nossas crianças não terão um futuro neste país, serão terroristas, corruptos, vejam os exemplos: Dilma, Lula, Temer, Renan, Collor, Sarney, Serra, Aécio…. a lista é grande…. pena de morte já….

    Curtir

  5. Damastor Dagobé

    todos o bem informados sabiam: a cloaca do BNDES era muito mais fedorenta que da Petrobrás..e olha que ainda falta da CEF, Banco do Brasil, Fundos de Pensão…

    Curtir

  6. Marco Aurelio Jandelli

    A melhor solução seria Carmen Lucia, mas ela não quer.

    Curtir

  7. Social Democrata Nem Direita Nem Esquerda

    Pós-Temer será em 2018. Dia 31/12/2018 será o último de governo de Temer e pronto. Para o bem do Brasil temos que ter estabilidade ou vamos ao coas. Acordem por favor!

    Curtir

  8. Antonio Flavio Cavalcante Costa

    Se for como O Josias de Souza falou da reunião entre ex-presidentes, que o presidente indireto não pode dar andamento às reformas, é melhor que fique mesmo o Temer e os congressistas levem as reformas no banho-maria. Mudar presidente só para colocar no lugar um cara para ficar sentado na cadeira enquanto as eleições de 2018 não vêm, é melhor deixar quem está e esvaziar o seu poder.

    Curtir

  9. Rui Lourenço

    FHC não passa de um babaca, que lambe as botas de Lula, mesmo após as sacanagens que Lula e seu PT fizeram contra ele e, inclusive, contra D.Ruth. FHC? Tenham um pouco de sensatez, p****!

    Curtir

  10. Social Democrata Nem Direita Nem Esquerda

    Nada disso. O certo é Temer ir até 2018. CHEGA DE INSTABILIDADE. Ninguém aguenta mais isso.

    Curtir