Entretenimento

Americana Netflix começa a operar no Brasil

Serviço oferece vídeos sob demanda na rede por mensalidade de 14,99 reais

Renata Honorato
Reed Hastings, CEO do Netflix, apresenta serviço à imprensa

Reed Hastings, CEO do Netflix, apresenta serviço à imprensa (Renata Honorato/VEJA)

A Netflix, empresa americana especializada na oferta de vídeos sob demanda via internet, começou sua operação no Brasil nesta segunda-feira. O serviço chega ao país com um pacote no valor de 14,99 reais mensais, além de um mês grátis para testes.

Para acessar o conteúdo, o usuário deve fazer um cadastro no site oficial do serviço. Uma vez registrado, poderá escolher filmes e seriados diretamente em seu computador ou ainda em consoles de games como o Wii, da Nintendo, e PlayStation 2 e 3, da Sony. O aplicativo do Netflix para Xbox 360, da Microsoft, estará disponível até o fim do ano, assim com as versões para iPhone e iPad, da Apple. Já no portátil Nintendo 3DS, o recurso só chega no ano que vem.

TVs Samsung e LG de nova geração que podem ser conectadas à internet também ganharão o aplicativo. O objetivo da Netflix é inserir o recurso em todas as "smarTVs". Aparelhos de Blu-Ray com acesso à rede também poderão ser conectados ao serviço.

Os assinantes do serviço poderão escolher filmes e seriados sem restrições de horários, acabando com a dependência imposta pelas emissoras. Entre os parceiros da Netflix estão grandes estúdios, como Paramount Pictures, Sony Pictures Television e NBCUniversal, além de canais como ABC e CBS, entre outros.

O catálogo traz centenas de filmes, como os campeões de bilheteria Forrest Gump, Beleza Americana, Procurando Nemo e Orgulho e Preconceito, entre outros. Alguns estão dublados em português e não possuem a opção de áudio ou legendas no idioma original. É o caso de Anatomia de Grey, série conhecida no país como Grey's Anatomy. Outras obras disponíveis, como Mad Man, permitem escolher entre a versão dublada ou legendada.

Cientes da paixão dos brasileiros pelas novelas, o Netflix incluiu em seu cardápio conteúdos produzidos na América Latina, como as venezuelanas Caminhos entre a Lua e o Sol e Minha Bela Querida. Somente duas novelas brasileiras, Meu Pé de Laranja Lima e Água na Boca, exibidas pela Rede Bandeirantes em 1998 e 2008, respectivamente, estão disponíveis.

Segundo Reed Hastings, CEO da Netflix, o objetivo é personalizar o sistema de acordo com a demanda. Durante a coletiva de imprensa desta segunda-feira, em São Paulo, o executivo não descartou a possibilidade de oferecer, no futuro, programas da TV Globo. "Gostaríamos de trabalhar com eles", disse.

É importante lembrar que o acesso ao conteúdo é feito via banda larga, cuja velocidade tem impacto direto na qualidade do sinal e, portanto, na experiência do usuário: quanto mais rápida, melhor. A empresa aproveita um momento propício para as alternativas on-line, tendo em vista que a velocidade da conexão no país melhorou e os aparelhos de TV passaram a ganhar recursos que permitem sua ligação direta com a web.

Nas próximas semanas, outros 42 países da América Latina e Caribe ganharão suas versões do serviço. Nos Estados Unidos, mais de 25 milhões de usuários acessam o Netflix, lançado em 1997. Líder na categoria de vídeos sob demanda no país, o valor da assinatura na região é de oito dólares mensais. No Canadá, onde o serviço está disponível a um ano, há um milhão de usuários.

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados