- Atualizado em

Neymar, do Santos, na partida contra o Atlético Goianiense, durante o Campeonato Brasileiro - 13/08/2011
Neymar, do Santos, na partida contra o Atlético Goianiense, durante o Campeonato Brasileiro - 13/08/2011(Adalberto Marques/Agif/Folhapress/VEJA)

Cobiçado pelos dois maiores times da Espanha, Barcelona e Real Madrid, o atacante Neymar tenta ficar longe da disputa entre os rivais. O jogador do Santos - que ainda curte o nascimento do primeiro filho, Davi Lucca -, garantiu em entrevista publicada nesta quinta-feira pelo jornal espanhol AS que não pretende tomar partido por nenhum dos dois clubes no momento.

"O que quer que eu diga não será compreendido. O que posso fazer? Não quero ofender ninguém. Fico feliz pelos maiores clubes me quererem. Não sinto pressão, só não quero entrar nesta guerra, dos clubes espanhois. A única certeza é que só vou decidir depois do Mundial de Clubes da Fifa, em dezembro." Neymar foi questionado se seria titular na equipe catalã: "E eu teria lugar no Real Madrid? Se nem o Kaká tem vaga nesse time...".
Neymar exibe tatuagem com o nome do filho Davi Luccas
Neymar tatuou no braço o nome do filho(Ricardo Saibun/AE/VEJA)
A diretoria santista também tenta aumentar a estadia do jogador na Vila Belmiro. O presidente do clube, Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, confirmou após a vitória sobre o Avaí, nesta quarta, que pretende renovar o contrato de Neymar. "Não posso, em meio a negociações, sem salário e detalhes fixados, dar detalhes do que estamos propondo. Isso seria dar munição ao inimigo. Queremos que ele fique e estou otimista", disse o dirigente. O principal item dessa possível renovação diz respeito ao aumento do valor da multa rescisória. Preocupado com o forte assédio dos clubes europeus, Ribeiro pretende aumentar a multa, atualmente em 45 milhões de euros (104 milhões de reais), para 55 milhões de euros (128 milhões de reais). (Com agência Gazeta Press)
TAGs:
Neymar
FC Barcelona
Real Madrid