Mais Lidas

  1. Justiça bloqueia bens do senador Lindbergh Farias

    Brasil

    Justiça bloqueia bens do senador Lindbergh Farias

  2. Temer monta seu governo: “Quero entrar para a história”

    Brasil

    Temer monta seu governo: “Quero entrar para a história”

  3. Lula sempre ganhou mensalinho da OAS, diz empreiteiro

    Brasil

    Lula sempre ganhou mensalinho da OAS, diz empreiteiro

  4. Marcola quer fazer botox

    Brasil

    Marcola quer fazer botox

  5. Janot pede ao STF que proíba PF de negociar delações

    Brasil

    Janot pede ao STF que proíba PF de negociar delações

  6. Irmãs tramam pelo WhatsApp assalto ao próprio pai no interior de São Paulo

    Brasil

    Irmãs tramam pelo WhatsApp assalto ao próprio pai no interior de...

  7. A miss-bumbum e o clima de fim da festa no Planalto

    Brasil

    A miss-bumbum e o clima de fim da festa no Planalto

  8. Felipe Melo entra de sola e detona comentarista Neto

    Esporte

    Felipe Melo entra de sola e detona comentarista Neto

Michael Jordan denuncia marca por uso irregular de seu nome

O ex-atleta alega que o nome da empresa, Qiaodan, utiliza sem permissão a tradução de Jordan para mandarim

- Atualizado em

Michael Jordan: camisa com o número 23 tornou-se sua referência
Michael Jordan: camisa com o número 23 tornou-se sua referência(Jonathan Daniel/Getty/VEJA)

O ex-jogador de basquete Michael Jordan levou a julgamento a marca esportiva chinesa Qiaodan pelo uso indevido de seu nome, informou nesta quinta-feira seu advogado citado pela agência Xinhua. O ex-atleta do Chicago Bulls alega que o nome da empresa, Qiaodan (Jordan, em mandarim), utiliza sem permissão a tradução de seu sobrenome, acompanhado ainda do número 23, o mesmo que usava em seu clube.

A Qiaodan tentou usar os nomes dos filhos de Jordan com fins comerciais, revelam os advogados chineses do ex-jogador da NBA. A empresa, que alega ter registrado a marca em 2000, é relativamente desconhecida no mercado do país asiático, mas nesta semana foi notícia pelo suposto interesse em um contrato de patrocínio com a nova estrela da NBA Jeremy Lin, de origem taiwanesa. A defesa de Jordan diz que o caso se parece com o apresentado pelo ex-jogador chinês Yao Ming, Houston Rockets, que levou a julgamento outra marca esportiva chinesa por usar seu nome e assinatura sem permissão. Ming ganhou a disputa no ano passado. Os conflitos pelo uso de marcas e nomes conhecidos são frequentes na China e nas últimas semanas ganharam destaque com mais um caso da Apple, que disputa na justiça com uma empresa do país o uso no mercado nacional da marca iPad. (Com agência EFE)
TAGs:
Basquete