Mais Lidas

  1. Ex de Susana Vieira vira garçom e vende artesanato na web

    Entretenimento

    Ex de Susana Vieira vira garçom e vende artesanato na web

  2. Primeiro ato do substituto de Cunha: encerrar a ordem do dia

    Brasil

    Primeiro ato do substituto de Cunha: encerrar a ordem do dia

  3. Teori concede liminar e suspende Eduardo Cunha do cargo de deputado

    Brasil

    Teori concede liminar e suspende Eduardo Cunha do cargo de deputado

  4. Delcídio deve comparecer à CCJ e comprometer Lula e Renan na Lava Jato

    Brasil

    Delcídio deve comparecer à CCJ e comprometer Lula e Renan na Lava Jato

  5. Clientes de restaurante vegano descobrem que donos comem carne e se revoltam

    Mundo

    Clientes de restaurante vegano descobrem que donos comem carne e se...

  6. Aliado narra irritação de Cunha com 'intromissão' de Teori

    Brasil

    Aliado narra irritação de Cunha com 'intromissão' de Teori

  7. AO VIVO: Cardozo diz que pedirá anulação do processo de impeachment

    Brasil

    AO VIVO: Cardozo diz que pedirá anulação do processo de impeachment

  8. Deputados anti-Cunha fazem sessão paralela e provocam: ‘Tchau, querido’

    Brasil

    Deputados anti-Cunha fazem sessão paralela e provocam: ‘Tchau,...

MEC quer dar bolsa de 400 reais a cotistas

Benefício deverá ser pago a estudante com renda familiar de até 1,5 salário mínimo por pessoa

- Atualizado em

O Ministério da Educação (MEC) planeja conceder uma bolsa de 400 reais mensais a estudantes de baixa renda que ingressarem na universidade por meio do sistema de cotas, informou nesta terça-feira o ministro Aloizio Mercadante. Uma medida provisória sobre o tema já foi enviada ao Congresso Nacional e deve ser votada no início de fevereiro.

Leia também:

Universidades federais: como funciona a nova lei de cotas

A bolsa será concedida a alunos com renda familiar de até 1,5 salário mínimo matriculados em cursos com mais de cinco horas de jornada diária. "Eles terão direito a uma bolsa assim que ingressarem na universidade", disse o ministro. Segundo Mercadante, o auxílio será pago durante todo o curso. Em novembro, o ministro havia anunciado uma ajuda financeira para os cotistas, nos moldes do programa Bolsa Família, mas não havia confirmado o valor na ocasião.

A lei de cotas, sancionada pela presidente Dilma Rousseff em agosto, determina que as instituições federais reservem 50% de suas vagas a estudantes que cursaram integralmente o ensino médio em escolas públicas. Neste ano, universidades e institutos devem reservar 12,5% de suas cadeiras aos cotistas. Elas têm até 2016 para se adequar às novas exigências.

A lei prevê que 50% das vagas reservadas a alunos de escolas públicas sejam garantidas a estudantes de famílias com renda igual ou inferior a 1,5 salário mínimo por pessoa. Também estão garantidos lugares a autodeclarados pretos, pardos e indígenas, em proporção igual à verificada no estado da instituição, segundo o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

As novas regras já valem para os vestibulares em andamento, inclusive para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que seleciona estudantes para instituições públicas de ensino superior com base na nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As inscrições para o Sisu começaram na segunda-feira e se estendem até a sexta. Até as 12h desta terça, mais de 1 milhão de candidatos já estam inscritos no sistema do MEC.

(Com Estadão Conteúdo)

Leia também:

Universidades federais: como funciona a nova lei de cotas

TAGs:
Cotas
Ministério da Educação
Educação