Religião

Pastor americano anuncia o fim do mundo pela terceira vez

Depois de prever o apocalipse em 1994 e em maio de 2011, religioso Harold Camping agora diz que mundo vai acabar nesta sexta-feira

Fim do mundo: falsos profetas foram homenageados este ano na bem humorada premiação do Ig Nobel porque "ensinam ao mundo que devemos ter cuidado ao fazer previsões matemáticas"

Fim do mundo: falsos profetas foram homenageados este ano na bem humorada premiação do Ig Nobel porque "ensinam ao mundo que devemos ter cuidado ao fazer previsões matemáticas" (Hemera/Thinkstock)

Depois de duas previsões furadas, o pastor evangélico americano Harold Camping, de 80 anos, 'remarcou' o apocalipse para esta sexta-feira. De acordo com ele, o mundo vai acabar com um grande terremoto e apenas 3% da população será levada ao Paraíso. O religioso é dono e fundador da rede cristã de rádio Family Radio, na qual também exerce a função de apresentador.

A matemática do fim do mundo

Como o pastor americano chegou à conclusão de que o mundo acabaria no dia 21 de maio e passaria por um período de transformação até 21 de outubro de 2011

A prova 'cabal' da previsão do pastor americano Harold Camping de que o mundo acabaria no dia 21 de maio de 2011 está baseada em trechos da Bíblia e na numerologia. O argumento começa pelo número de dias que se passaram desde que Jesus foi crucificado. Apesar de ser uma data controversa, Camping assume que teria sido no dia 1º de abril do ano 33. O dia 21 de maio de 2011 marca 722.500 dias desde a crucificação, segundo o pastor, o que também pode ser escrito na forma (5 x 10 x 17) x (5 x 10 x 17). Esses números são importantes, de acordo com Camping, porque 5 simboliza reparação, 10 representa completude, e 17, o Paraíso. Ou seja, Camping retira passagens arbitrárias da Bíblia para dar significados igualmente arbitrários aos números.

Camping já falhou ao prever o fim do mundo em 6 de setembro de 1994 e em 21 de maio de 2011. Na ocasião, Camping afirmou que os crentes iriam para o Céu, e a Terra passaria por um período de destruição que duraria cinco meses, até o dia 21 de outubro (esta sexta).

Em entrevista a jornalistas no dia 23 de maio, Camping reconheceu os erros anteriores e reagendou o fim do mundo para o dia 21 de outubro. Dessa vez, afirma, não há dúvidas. "Deus é misericordioso e decidiu não punir a humanidade com cinco meses de sofrimento", disse. Vários seguidores de Camping deixaram suas casas para se preparar para o Juízo Final.

Camping e catastrofistas do gênero foram 'homenageados' este ano pelo bem-humorado prêmio Ig Nobel. O troféu de matemática foi dedicado às pessoas que anunciam o fim do mundo sem sucesso porque "ensinaram ao mundo que devemos ter cuidado ao fazer previsões matemáticas".

Confira outras previsões do fim do mundo:

O FIM QUE NUNCA CHEGOU
Vários 'profetas' já anunciaram o fim do mundo e viram suas previsões furarem

Quando 'Profeta'
1954 A dona de casa Dorothy Martin, dos Estados Unidos, afirmou ter recebido informações do 'planeta Clarion' de que o mundo seria 'reciclado': a maioria das pessoas morreria, os continentes seriam destruídos e em seguida refeitos para uma nova era.
1982 O religioso americano Pat Robertson afirmou em 1976 que o mundo acabaria em novembro de 1982. "Garanto que em 1982 a humanidade vai chegar ao Juízo Final", disse em entrevista a um programa de televisão.
1992 Lee Jang Rim, um pregador da Coreia do Sul, disse que o mundo acabaria em outubro de 1992. Muitos dos seguidores de Rim abandonaram suas casas e doaram suas economias à igreja. O religioso foi preso.
1999 Líder de um culto sobre o fim do mundo, Shoko Asahara, do Japão, teve uma 'revelação espiritual' em 1989 durante uma viagem ao Himalaia. Para ele, o mundo acabaria em 1999 com uma guerra nuclear. Não satisfeito, quis acelerar o processo: coordenou um atentado no metrô de Tóquio, em que 12 pessoas morreram e milhares ficaram feridos. Asahara foi condenado à morte e aguarda o cumprimento da sentença.
2000 A 'profetisa' Credonia Mwerinde, de Uganda, liderou um movimento suicida que pregava o fim do mundo na virada do milênio. No ano 2000, cerca de 3.000 membros do movimento foram envenenados, enforcados ou tiveram a cabeça esmagada. No dia 17 de março, Mwerinde reuniu 600 membros restantes em uma igreja encharcada de gasolina. Todos morreram queimados.

 

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados