Mais Lidas

  1. Andréa de Nóbrega deixa Carlos Alberto e 'A Praça É Nossa'

    Entretenimento

    Andréa de Nóbrega deixa Carlos Alberto e 'A Praça É Nossa'

  2. Exclusivo: delator revela caminho das propinas para operador de Renan e do PMDB

    Brasil

    Exclusivo: delator revela caminho das propinas para operador de...

  3. Patricia Abravanel bate na África e apanha nas redes

    Entretenimento

    Patricia Abravanel bate na África e apanha nas redes

  4. Campanha de Dilma recebeu R$ 2 mi de investigada na Boca Livre

    Brasil

    Campanha de Dilma recebeu R$ 2 mi de investigada na Boca Livre

  5. Moro reabre ação que envolve executivos da Andrade Gutierrez

    Brasil

    Moro reabre ação que envolve executivos da Andrade Gutierrez

  6. Ciro defende 'sequestrar' Lula em caso de pedido de prisão

    Brasil

    Ciro defende 'sequestrar' Lula em caso de pedido de prisão

  7. EUA estão ficando sem espaço para estocar petróleo

    Economia

    EUA estão ficando sem espaço para estocar petróleo

  8. Impeachment pode marcar nova onda de valorização do real

    Economia

    Impeachment pode marcar nova onda de valorização do real

Rose foi única chefe indicada por Lula que Dilma manteve

Rosemary Nóvoa só foi demitida após operação da Polícia Federal revelar que ela usava cargo de chefe de gabinete para fazer tráfico de influência

- Atualizado em

Rosemary Nóvoa de Noronha e Lula
Próxima de Lula, Rose ocupava desde 2009 um cargo com salário de 11 200 reais(AE e Reuters/VEJA)

Rosemary Nóvoa de Noronha, uma das personagens centrais do esquema de corrupção desarticulado pela Operação Porto Seguro, foi a única funcionária não concursada da Presidência mantida em cargo de chefia após a transição de poder entre Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

Próxima de Lula, Rose, como era conhecida, ocupava desde 2009 um cargo DAS 6 - reservado a secretários, chefes e diretores de departamento, com salários na faixa de 11 200 reais. Rose foi demitida há 15 dias, após a operação da Polícia Federal (PF).

O levantamento sobre os 6.515 servidores federais não concursados que estão em postos de livre nomeação (DAS) mostra que, quanto maior a importância e a remuneração do cargo, menor é a taxa de "sobrevivência" dos remanescentes da gestão Lula - tanto no âmbito da Presidência quanto em ministérios. É nos cargos DAS - sigla de "Direção e Assessoramento Superior" - que se acomodam a maioria dos servidores indicados por partidos políticos.

Leia também:

Dilma determina afastamento de diretor da Antaq

Paulo Vieira pede demissão de diretoria da ANA

Com Lula, Rosemary conheceu 24 países

No caso dos salários mais elevados, de 8.988 a 11.179 reais, não há cota mínima de concursados. São esses postos os mais visados. Mesmo nesses casos, porém, os servidores de carreira são maioria: 60% entre os DAS 6 e 68% entre os DAS 5.

Os dados do Portal da Transparência do governo mostram que, em relação ao começo da gestão, Dilma ampliou o número de cargos DAS (de cerca de 21.700 para 22.300), mas, ao mesmo tempo, reduziu o número de não concursados que os ocupam (de 6.689 para 6.515).

(Com Estadão Conteúdo)

TAGs:
Dilma Rousseff
Lula
Rosemary de Noronha
Operação Porto Seguro