tarja JMJ Rio 2013

Religião

Rio terá feriado durante a Jornada Mundial da Juventude

Prefeito decreta quatro dias de feriado durante o evento e estipula esquema especial de trânsito para a visita do papa

Cecília Ritto, do Rio de Janeiro
Papa Francisco segura uma pomba branca antes de sua audiência geral na Praça de São Pedro, no Vaticano

Papa Francisco segura uma pomba branca antes de sua audiência geral na Praça de São Pedro, no Vaticano (Stefano Rellandini /Reuters )

Com o calendário repleto de eventos que vão movimentar o Rio de Janeiro pelos próximos anos, a prefeitura repetiu, para a Jornada Mundial da Juventude, a fórmula mais simples de minimizar o impacto na cidade. O jeito, mais uma vez, foi decretar feriado durante a maior concentração de público, quando o papa Francisco estará em solo carioca. O método se assemelha ao adotado durante a conferência Rio+20, em 2012. Eduardo Paes enviou para a Câmara dos Vereadores, nesta quarta-feira, o projeto de lei que decreta feriado no dia 23 de julho, a partir das 16h, nos dias 25 e 26, em horário integral, e no dia 29 até o meio-dia. 

No projeto de lei, o prefeito alega a grande movimentação de peregrinos e de transportes que chegarão ao Rio durante o evento. A estimativa da prefeitura é de que 20 mil ônibus fretados cheguem de diversos estados brasileiros e de países latino-americanos tragam católicos à cidade. Não haverá feriado para comércio de rua, bares, restaurantes, centros comerciais e shoppings, galerias, estabelecimentos culturais e pontos turísticos. Também está excluída do feriado a administração pública da cidade.

Leia mais:Bispos da JMJ terão hospedagem de graça em hotéis do Rio

JMJ: Rio espera invasão argentina em julho
Segurança da JMJ terá 12.000 policiais

“Será uma semana de transtorno para o morador da cidade. Mas é um orgulho para nós receber a Jornada e a primeira viagem do papa Francisco para fora de Roma. Isso exigirá do carioca uma dose de sacrifício e, por isso, há a necessidade de decretar feriado durante os dias do evento”, disse Paes, reiterando que a mobilidade e o deslocamento ficará “bastante restrito”.

No mesmo texto enviado à Câmara, o prefeito proíbe a circulação, entre os dias 19 a 30 a de julho, dos 20 mil ônibus fretados esperados para chegarem à cidade durante os dias da jornada. Esses transportes terão de passar por pontos de identificação montados no terreno Canção Nova, em Cachoeira Paulista, em São Paulo, e nos centros de exposições de Casimiro de Abreu e de Itaipava, no Rio. Nesses locais, os veículos serão adesivados e seguirão viagem até outros pontos, ainda em estudo, de desembarque de visitante. Na cidade, os ônibus fretados terão de ficar estacionados em bolsões localizados em Paciência e no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste.

Saiba mais: Namorado de Deborah Secco vai cantar para o papa
Papa será recepcionado por coral de 100 vozes na praia

“Sob o ponto de vista da logística e da imprevisibilidade, não é um evento trivial. Na Jornada, existe uma série de informações que dificilmente teremos certeza sobre elas, como, por exemplo, a quantidade de pessoas que virão ao Rio”, afirmou Paes, que diz trabalhar, a princípio, com o número de 1,5 milhão de fieis. Segundo o prefeito, a missa de acolhida, no dia 25, e a via-sacra, no dia 26, ambas na praia de Copacabana com a presença do papa, equivalerá a dois réveillons, em termos de contingente e esquema operacional.

Em Guaratiba, onde haverá a vigília e a missa de encerramento, nos dias 27 e 28 de julho, serão montadas duas entradas para que os peregrinos entrem na área do evento. A ida até o bairro terá de ser feita a pé, porque os acessos serão fechados. Desde as 6h de sábado estarão interditadas ao trânsito a Avenida das Américas, na altura do Recreio, o túnel da Grota Funda e a Estrada do Mato Alto. Todos os peregrinos terão de fazer um percurso de aproximadamente 13 quilômetros de andança. Na missa final, por volta do meio-dia de domingo, haverá ônibus fazendo trajetos para pontos específicos. A prefeitura estima que demore 20 horas para a desocupação dos terrenos de Guaratiba. 

LEIA TAMBÉM:
Impasse na organização da JMJ: Igreja atrasa contratação de empresa de segurança
Chuvas atrasam obras da Jornada Mundial da Juventude 
PF pede ajuda a países vizinhos para controlar frota de ônibus da JMJ

Tire suas dúvidas sobre a JMJ 2013

Evento será realizado no Rio de Janeiro, de 23 a 28 de julho

1 de 10

Por que se inscrever?

A inscrição na Jornada Mundial da Juventude possibilita ao católico o acesso aos serviços da cidade do Rio. Dependendo do tipo de pacote escolhido, o fiel receberá vale-transporte, alimentação e hospedagem. Quem participar oficialmente do evento terá acesso, em algumas ocasiões, a áreas reservadas, que permitem ficar mais perto do papa, como na praia de Copacabana e em Guaratiba. Também haverá celebrações em que só os cadastrados poderão participar, como as catequeses. A inscrição deve ser feita no site oficial da Jornada: www.rio2013.com

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados