Mais Lidas

  1. Ouça a conversa entre Ana Hickmann e fã que a atacou

    Entretenimento

    Ouça a conversa entre Ana Hickmann e fã que a atacou

  2. Moro, aplausos e um pedido: 'Prenda o Lula'

    Brasil

    Moro, aplausos e um pedido: 'Prenda o Lula'

  3. Na Argentina, Serra firma acordo de 'coordenação política'

    Brasil

    Na Argentina, Serra firma acordo de 'coordenação política'

  4. Argentina: jogador morre depois de receber golpes na cabeça

    Esporte

    Argentina: jogador morre depois de receber golpes na cabeça

  5. Sucessor de Jucá no Planejamento é citado na Zelotes

    Brasil

    Sucessor de Jucá no Planejamento é citado na Zelotes

  6. Novos áudios mostram que Jucá não falava sobre economia ao citar "sangria"

    Brasil

    Novos áudios mostram que Jucá não falava sobre economia ao citar...

  7. Temer confirma afastamento de Jucá

    Brasil

    Temer confirma afastamento de Jucá

  8. Moro cobra postura mais ativa do governo contra corrupção: 'Não interferir é obrigação'

    Brasil

    Moro cobra postura mais ativa do governo contra corrupção: 'Não...

Milícia lucra com o Minha Casa, Minha Vida

Grupos paramilitares dominam condomínios do programa federal de habitação na zona oeste do Rio

- Atualizado em

O secretário municipal de Habitação do Rio de Janeiro, Jorge Bittar, admitiu a atuação de milicianos nos condomínios do programa federal Minha Casa, Minha Vida, segundo informações do jornal O Globo. De acordo com a publicação, o crime vem sendo cometido sobre 2709 imóveis em 11 conjuntos habitacionais, localizados em três bairros da zona oeste do Rio- região dominada por grupos paramilitares. No condomínio Ferrara, no bairro de Campo Grande, a milícia ocupou e vendeu 143 dos 262 apartamentos.

"A situação do condomínio Ferrara é a mais grave. Lá, os milicianos aproveitaram que o conjunto ainda não havia recebido todos os moradores cadastrados pela secretaria e invadiram 143 unidades. Temos informações de que os imóveis estavam sendo vendidos", disse Bittar ao O Globo.

A secretaria de Habitação já repassou à secretaria estadual de Segurança Pública o problema envolvendo o programa Minha Casa, Minha Vida. "Realizamos algumas reuniões com representantes da Caixa e da Polícia Militar para reverter o problema. Em fevereiro, cheguei a participar de uma ação no condomínio Ferrara com o objetivo de retomar os 143 apartamentos invadidos e vendidos pelos milicianos, mas, lamentavelmente, não conseguimos retomar os imóveis", disse Bittar.

O secretário reconhece que essas ações da milícia estão fazendo a população se recusar a receber os imóveis do programa ou a devolver os apartamentos já adquiridos através do Minha Casa, Minha Vida. "Este é um problema muito grave, que precisa ser enfrentado para não colocar em risco a continuidade do programa. Este ano temos previsão de entregar 12 mil unidades habitacionais, mas 80% delas ficaram em bairros da zona oeste, onde é grande a atividade das milícias. O trafico é um problema sério, sem dúvidas, mas os milicianos contam diretamente com a participação de policiais, tornando muito difícil o combate", disse o secretário.

Após Jorge Bittar se reunir, na última semana, com a ministra do planejamento, Miriam Belchior, e com a secretária Nacional de Habitação, Inês Magalhães, ficou estabelecido que a Polícia Federal fará uma ação para retomar os apartamentos invadidos no condomínio Ferrara. A data, porém, não ficou definida.

TAGs:
Milícia