Mais Lidas

  1. Sequestrador de Ana Hickmann foi ‘assassinado com crueldade e frieza’, diz irmã

    Entretenimento

    Sequestrador de Ana Hickmann foi ‘assassinado com crueldade e...

  2. Congresso destrava pauta e abre caminho para votação da nova meta fiscal

    Brasil

    Congresso destrava pauta e abre caminho para votação da nova meta...

  3. Afastado do Planejamento, Jucá ocupa tribuna do Congresso e provoca bate-boca

    Brasil

    Afastado do Planejamento, Jucá ocupa tribuna do Congresso e provoca...

  4. Ouça a conversa entre Ana Hickmann e fã que a atacou

    Entretenimento

    Ouça a conversa entre Ana Hickmann e fã que a atacou

  5. Bruna Linzmeyer sensualiza após ataques homofóbicos no Instagram

    Entretenimento

    Bruna Linzmeyer sensualiza após ataques homofóbicos no Instagram

  6. Temer bate na mesa e diz que sabe o que fazer no governo: 'Eu tratava com bandidos'

    Brasil

    Temer bate na mesa e diz que sabe o que fazer no governo: 'Eu...

  7. Jucá dá o troco em desafeto: 'Ele deveria entregar a mulher, que é procurada pela polícia'

    Brasil

    Jucá dá o troco em desafeto: 'Ele deveria entregar a mulher, que é...

  8. Morre, aos 65, o criminalista Arnaldo Malheiros Filho

    Brasil

    Morre, aos 65, o criminalista Arnaldo Malheiros Filho

Cunha recorre na CCJ contra ação no Conselho de Ética

- Atualizado em

O presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ)
O presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ)(Evaristo Sa/STF/AFP)

Logo após ser notificado do seguimento do processo de quebra de decoro parlamentar que corre contra ele no Conselho de Ética, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), protocolou na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) recurso contra a aprovação do parecer do relator Marcos Rogério (PDT-RO) pela admissibilidade da ação no colegiado.

No documento de 54 páginas, Cunha pede a suspensão da tramitação do processo. Ele também faz outros 11 pedidos. O peemedebista requer, por exemplo, que sejam anulados o sorteio pelo qual escolheu-se o relator e a tramitação da ação porque os votos em separado de dois integrantes de sua tropa de choque não foram considerados.

Cunha pede também que seja reconhecido o cerceamento de sua defesa e que o presidente do conselho, o deputado José Carlos Araújo (PSD-BA), seja afastado até que duas questões de ordem apresentadas por aliados sejam respondidas. Ele também pede que o voto de Araújo, que desempatou a votação sobre o seguimento do processo, seja considerado branco. Por fim, Cunha pede que seja reconhecido o impedimento de Araújo e a consequente anulação de todo os seus atos. No recurso, Cunha acusa "fraude regimental" no parecer aprovado no início de março.

A apreciação do recurso só será possível quando a CCJ voltar a funcionar. Todas as comissões da Câmara estão paradas a espera de que o Supremo Tribunal Federal (STF) responda a embargos de declaração apresentados por Cunha para que se esclareça o rito do impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Notificação - Cunha foi notificado na tarde desta segunda-feira sobre o andamento do processo por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética. Com a formalização da abertura de investigação, abre-se prazo para o parlamentar apresentar a defesa em até dez dias, bem como indicar provas, arrolar até oito testemunhas para prestarem depoimento e apresentar documentações que julgar necessário.

(Com Estadão Conteúdo)

TAGs:
Conselho de Ética
CCJ
Eduardo Cunha