Mais Lidas

  1. Lula sempre ganhou mensalinho da OAS, diz empreiteiro

    Brasil

    Lula sempre ganhou mensalinho da OAS, diz empreiteiro

  2. Temer monta seu governo: “Quero entrar para a história”

    Brasil

    Temer monta seu governo: “Quero entrar para a história”

  3. A miss-bumbum e o clima de fim da festa no Planalto

    Brasil

    A miss-bumbum e o clima de fim da festa no Planalto

  4. Janot pede ao STF que proíba PF de negociar delações

    Brasil

    Janot pede ao STF que proíba PF de negociar delações

  5. Senadora governista tenta paralisar comissão do impeachment

    Brasil

    Senadora governista tenta paralisar comissão do impeachment

  6. Temer tenta cancelar recesso e acelerar impeachment

    Brasil

    Temer tenta cancelar recesso e acelerar impeachment

  7. Leicester City: um pequeno grande time

    Esporte

    Leicester City: um pequeno grande time

  8. Denúncia contra Dilma não deve ser ampliada, diz Lira

    Brasil

    Denúncia contra Dilma não deve ser ampliada, diz Lira

CPI quebra sigilo de 4 pessoas ligadas a Marconi Perillo

- Atualizado em

Por Ricardo Brito

Brasília - A CPI do Cachoeira aprovou na manhã desta quinta-feira a quebra de sigilos de quatro pessoas ligadas ao governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB). A iniciativa, com o apoio unânime de 24 parlamentares da comissão, tem por objetivo fechar o cerco contra o tucano. Perillo é suspeito de ter tido uma casa comprada e despesas de campanha pagas pelo esquema comandado pelo contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

Foram quebrados os sigilos bancário e fiscal de Jayme Rincon, ex-tesoureiro da campanha de Perillo e atual presidente da Agência Goiânia de Transportes e Obras Públicas (Agetop). Convocado para depor na CPI, Rincon ainda não veio porque apresentou atestados médicos. Ele terá de explicar suspeitas de caixa dois na campanha de Perillo e a negociação da venda da casa do governador de Goiás, local onde Cachoeira foi preso em fevereiro.

A CPI quebrou também o sigilo de mensagens de celular e telefônico de Lúcio Fiúza Gouthier, ex-assessor especial de Perillo. Assim como Rincon, ele teria feito pagamento via caixa dois para quitar dívidas da campanha do governador goiano.

A comissão quebrou ainda os sigilos telefônico e de mensagens de celular de Eliane Pinheiro, ex-chefe de gabinete do governador. Eliane, que ficou em silêncio quando compareceu à CPI no final do mês passado, é acusada de ter repassado informações sigilosas ao grupo do contraventor.

O ex-presidente do Departamento de Trânsito (Detran) de Goiás Edivaldo Cardoso de Paula, que não foi localizado pela CPI para depor na última terça-feira, também teve seus sigilos bancário, fiscal, telefônico, de SMS quebrados na sessão desta manhã. Ele teria sido indicado para o cargo por Cachoeira.

A comissão já havia quebrado os sigilos bancário, fiscal, telefônico e de SMS de Perillo desde janeiro de 2002. A comissão decidiu agora pedir cópia dos relatórios das Estações de Rádio Base (ERB) do governador de Goiás, nos quais é possível saber por onde ele passou. Esse mesmo pedido foi aprovado para o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT).