Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Trump deve manter Estados Unidos em acordo nuclear com o Irã

Presidente americano divulga nesta sexta-feira nova estratégia em relação ao Irã, e Congresso deve definir se retoma sanções contra Teerã

O presidente americano Donald Trump vai se manifestar nesta sexta-feira sobre o futuro do grande acordo nuclear firmado com o Irã.  O chefe da Casa Branca deve anunciar uma nova estratégia sobre o país e não certificar o cumprimento por Teerã do pacto assinado em 2015, mas a decisão de retirar os Estados Unidos do acordo ou reescrevê-lo não será tomada agora, segundo antecipam o jornal americano New York Times e a rede CNN. Caso a intenção de Trump em não certificar o acordo seja declarada, ficará a cargo do Congresso determinar a retomada de sanções contra o Irã nos próximos sessenta dias.

A intenção do presidente americano é que os deputados determinem limites que, cruzados pelo governo iraniano, ativem medidas imediatas contra o regime de Teerã. Entre esses “gatilhos”, está o eventual lançamento de misseis balísticos pelo Irã, uma possível recusa em estender a duração da restrição contra a produção de combustível nuclear ou uma futura conclusão, a partir das agências de inteligências americanas, de que o país poderia uma arma nuclear em um período inferior a um ano. A retomada de sanções poderia provocar a saída do Irã do acordo.

Antes do pronunciamento, que acontece nesta tarde, Trump deu pistas do conteúdo de outras medidas que devem ser tomadas contra o regime de Teerã. Membros e grupos associados à Guarda Revolucionária do Irã devem ser colocados em uma lista de sanções e o grupo pode receber a classificação de “organização terrorista”. “Chegou a hora do mundo se unir a nós para exigir que o governo do Irã dê fim à busca por morte e destruição”, comunicou a Casa Branca.

A Rússia afirmou nesta sexta-feira que as consequências serão “extremamente negativas” se os Estados Unidos deixarem o acordo com o Irã sobre o programa nuclear iraniano, e que Teerã provavelmente também abandonaria o pacto. “Certamente isso vai prejudicar a atmosfera de previsibilidade, segurança, estabilidade e não proliferação no mundo inteiro”, disse Dmitry Peskov, porta-voz do presidente russo, Vladimir Putin, a repórteres.

Por sua vez, o presidente do Parlamento do Irã, Ali Larijani, rechaçou qualquer possibilidade de que os Estados Unidos possam recuar do acordo com Teerã. Em visita à Rússia, ele disse que a mudança de posição seria um insulto ao Irã e às Nações Unidas, e qualquer revisão poderia levar o país a tomar suas próprias ações, sem especificá-las. Em setembro, o presidente iraniano Hassan Rohani declarou que Washington pagaria um “preço alto” caso abandonasse o acordo.

(Com Reuters) 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Julio Cesar Paes

    o irã reclama … mas começou ameaçar com bravata e retorica militar igual a coreia do norte
    é um estado terrorista que não merece um minimo de credibilidade.

    Curtir

  2. Antônio de Oliveira Marques

    O Estado terrorista do Irã deve ser enfrentado com armas militares e rigor.
    Terrorista não conhece alternativa, a não ser para beijar a mão de soldado israelense ou americano, logo que rendido.

    Curtir