Próxima cúpula das Américas sem Cuba seria inaceitável: presidente colombiano

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, afirmou que “seria inaceitável” uma nova Cúpula das Américas “com uma Cuba ausente”, na abertura, este sábado, da 6ª edição deste fórum regional em Cartagena.

“O isolamento, a indeferença já demonstraram sua ineficácia. No mundo de hoje não se justifica este anacronismo. Assim como seria inaceitável uma próxima cúpula com um Haiti frustrado, também o seria com uma Cuba ausente”, afirmou Santos diante de 30 colegas americanos, entre eles o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, cujo país é contrário à participação de Havana na conferência.

“Não podemos ser indiferentes a um processo de mudança em Cuba. Esta mudança deve continuar. É preciso conseguir consensos mínimos para que estas mudanças cheguem a um porto seguro, pelo bem de seu povo”, reforçou o presidente colombiano.

A exclusão de Cuba das cúpulas das Américas é rejeitada pelos países latino-americanos e o tema impediu um acordo entre os chanceleres, na sexta-feira, sobre a declaração final da reunião de Cartagena.

No entanto, os presidentes poderiam alcançar um consenso ainda este sábado.

Cuba foi suspensa da Organização dos Estados Americanos (OEA) em 1962, em plena Guerra Fria. Em 2009, esta sanção foi suspensa, depois da Cúpula das Américas em Port Spain, em Trinidad e Tobago, mas a ilha comunista não solicitou sua reincorporação ao organismo regional.