O pesadelo de Putin

Em 180 cidades da Rússia, milhares de pessoas protestaram contra a corrupção e foram violentamente reprimidas. Entre as palavras de ordem, "abaixo o czar!"

Não há nada que incomode mais o presidente russo Vladimir Putin do que protestos na rua. Os mais ruidosos ocorreram em 2011, quando o povo se manifestou contra as fraudes nas eleições legislativas. Desde que reassumiu a presidência do país no ano seguinte, depois de um período como primeiro-ministro, Putin apertou o cerco aos opositores e censurou a imprensa.

Também reprimiu todos os que se levantaram contra os seus aliados no exterior, para que os rebeldes não servissem de inspiração aos russos. Foi assim na Ucrânia em 2014, quando ajudou seu aliado Viktor Yanukovich, presidente ucraniano, a fugir para a Rússia após um massacre contra manifestantes em Kiev. Foi assim em 2015 na Guerra da Síria, quando mandou caças para apoiar o ditador Bashar Assad.

Nada disso parece estar ajudando dentro de casa. Na segunda-feira 12, um ato organizado contra a corrupção reuniu milhares a se manifestar em 180 cidades com gritos de: “abaixo o czar”, “a Rússia sem Putin” e “a Rússia vai ser livre”. Cerca de 1700 foram detidos pela polícia.

Para ler a reportagem na íntegra, compre a edição desta semana de VEJA no iOS, Android ou nas bancas. E aproveite: todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no Go Read.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. AÍDA PAIVA CAETANO

    Fico perguntando aos meus botões:
    _Porque a Veja não é mais corajosa como era antigamente?
    _O que aconteceu com a Veja?
    Sabe, às vezes chego a me assombrar com a resposta.

    Curtir

  2. Estrêla e Estrêla

    Esse jovens são facilmente manipulados. Lembram-se da Primavera Arabe?? Os jovens pedindo a queda de ditadores?? Se ferraram e ferraram o mundo. O EI (um recém nascido) soube aproveitar e hj, Libia e Siria, principalmente, são um escombro do que eram. A Rússia sem Putin será tomada pelos muçulmanos em pouco tempo e a Europa irá amargar no inferno.

    Curtir

  3. Estrêla e Estrêla, com toda certeza, a não ser pelo fato de que a Europa, com ou sem Putin, já está irreversivelmente no caminho que você falou.

    Curtir

  4. Helio Carneiro

    Manifestar dentro de um estado comunista na situação econômica fraca como a Rússia se encontra só serve para ser identificado e eçiminado posteriormente. Os russos n costumam poupar sua próprio população por isso apoiou Assad e o ex- presidente da Ucrânia.

    Curtir

  5. Fábio Luís Inaimo

    Venezuela ….filial !!! Russia …..matriz …..Do Bolivarianismo !!! E como tem idiota defendendo PuTrin o novo Hitler !!

    Curtir

  6. Gerador emprego

    Esses jovens vão sangra mto até conseguir acabar câncer comunismo Rússia…mas comunismo está dias contados não há espaço para autoritarismo onde existe comunicação direta como internet proporcionou ao mundo…em breve veremos a verdadeira democracia direta na qual cada cidadão vai tomar decisões por meio de votos pela rede e politicos vão ser meros legisladores vão propor opções mas não vão poder decidir nada…

    Curtir