Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Irã e G5+1 anunciam agenda para continuar negociações

Segundo a chefe da diplomacia europeia, plano de metas prevê série de reuniões ao longo de quatro meses. Acordo final ainda está distante

Os países do grupo 5+1 (Estados Unidos, China, Grã-Bretanha, França, Rússia e Alemanha) e o Irã estabeleceram nesta quinta-feira em Viena um plano de trabalho para continuar as negociações nos próximos meses em busca de um acordo nuclear definitivo, anunciou a chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton. O próximo encontro, também em Viena, será no dia 17 de março.

Segundo Catherine declarou à imprensa, o objetivo do plano é construir uma agenda com passos e metas para serem seguidas pelos dois lados da negociação. “Tivemos três dias muito produtivos, durante os quais identificamos todos os assuntos que temos que abordar para conseguir um acordo completo e final”, declarou Catherine em entrevista coletiva com o ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohamad Yavad Zarif.

Leia também

Irã diz que não vai se desfazer de instalações nucleares

ONU envia equipe ao Irã para fiscalizar acordo nuclear

Obama pede união aos democratas para evitar mais sanções ao Irã

A representante europeia advertiu, porém, que chegar a um acordo não será fácil, mas que os três dias da negociação que terminam nesta quinta-feira em Viena foram “um bom começo”. Catherine Ashton garantiu que, além da discussão política, foi iniciado um grupo de trabalho técnico e estabelecido um calendário de reuniões “para os próximos quatro meses”. A chefe da diplomacia europeia se referiu a esse calendário como um “marco de trabalho para continuar as deliberações”. Antes do encontro de alto nível de 17 de março, os especialistas técnicos se reunirão no início de março para preparar os detalhes da negociação. (Continue lendo o texto)

Depois do acordo preliminar sobre o programa nuclear iraniano anunciado no final do ano passado, as negociações em busca de um difícil acordo definitivo sobre a questão entraram em uma fase delicada. Enquanto o G5+1 quer o desmantelamento completo do programa nuclear iraniano, a República Islâmica avisou que não vai se desfazer de nenhuma de suas instalações nucleares, pois tem direito a produzir energia. Teerã também já deixou claro que vai discutir apenas assuntos nucleares, deixando seu programa militar fora das negociações. Estados Unidos e Israel defendiam que a indústria de mísseis de Teerã estivesse na pauta das negociações.

Leia mais

Irã dá início à paralisação do seu programa nuclear

Acordo com Irã embaralha as cartas da geopolítica

“Desmantelar o programa nuclear não está na agenda”, disse a jornalistas o vice-ministro de Relações Exteriores Abbas Araghchi. “O programa nuclear iraniano não tem nada a ver com questões militares, e questões militares não têm nada a ver com o programa nuclear”, disse o chefe da equipe de negociação do Irã, o ministro de Relações Exteriores Javad Zarif, segundo o jornal britânico The Guardian.

(Com agência EFE)