Facebook, Twitter e Google se unem para verificar notícias falsas

A rede de parcerias que pretende filtrar informações erradas também inclui veículos de imprensa como 'The New York Times', 'CNN' e 'BuzzFeed'

As redes sociais Facebook e Twitter, além de importantes veículos de imprensa de todo o mundo, se uniram a uma coalizão de empresas de mídia e tecnologia para tentar filtrar notícias falsas na internet. Anunciada nessa terça-feira, a rede de parcerias que envolve gigantes da internet e respeitados veículos de imprensa é gerenciada pela organização First Draft News, que pertence ao Google, e busca analisar formas de melhorar a qualidade do jornalismo contemporâneo.

De acordo com Jenni Sargent, diretor da First Draft, a coalizão pretende treinar jornalistas, criar um “código de conduta” para as empresas de mídia e lançar uma plataforma colaborativa de verificação de informações. “Cada parceiro está comprometido em compartilhar conhecimento, desenvolver políticas e oferecer treinamento sobre como jornalistas podem usar as redes sociais para procurar e divulgar notícias”, informou o grupo em comunicado.

Leia também:
Parentes de vítimas de ataques palestinos processam Facebook em US$1 bi nos EUA
Zuckerberg diz que Facebook não vai virar empresa de mídia

Entre os parceiros que se uniram à causa estão grandes nomes da imprensa tradicional, como The New York Times, Washington Post e Le Monde, além de sites como BuzzFeed. O anúncio acontece em um momento de preocupação crescente sobre o papel das redes sociais, principalmente do Facebook, na proliferação de notícias falsas e informações duvidosas. Fundada no ano passado, a First Draft já ajudou o YouTube a filtrar conteúdo produzido por usuários, além de outros projetos.