Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Estado Islâmico mata ao menos 32 em ataques a shopping e café no Iraque

Jihadistas do grupo Estado Islâmico (EI) mataram nesta segunda-feira 12 pessoas em um shopping de Bagdá e outras 20 pessoas em um café ao norte da capital iraquiana.

O primeiro ataque, registrado esta tarde, teve como alvo um shopping center no bairro Al-Jadida, no leste da capital iraquiana, e deixou ao menos 12 mortos. “Um carro parou, dois homens armados desceram e começaram a atirar, matando as pessoas. Há muitos mortos”, contou Salman Hussein, testemunha ocular do ataque.

Segundo um funcionário do Ministério do Interior, homens armados detonaram um carro-bomba antes de abrir fogo na rua e entrar no prédio do shopping Zahrat Bagdad, um edifício de quatro a cinco andares localizado neste bairro comercial de maioria xiita. “Pelo menos um dos atacantes portava um cinto com explosivos e o detonou dentro do shopping”, declarou o funcionário.

Várias pessoas foram feitas reféns e três delas morreram quando as forças de segurança tentaram neutralizar os atacantes, segundo um coronel da polícia. A versão foi contestada pelo chefe do comando das operações em Bagdá, general Abdel Amir al-Chammari, que negou ter havido tomada de reféns.

Leia mais:

Turquia anuncia que retirará suas tropas posicionadas no norte do Iraque

Grupo de caçadores, entre eles um príncipe, é sequestrado no Iraque

Duplo atentado – Na cidade de Mouqdadiya, a nordeste de Bagdá, 20 pessoas morreram em ataque a um café, onde uma bomba foi detonada, seguida de um atentado suicida com carro-bomba, informaram um capitão da polícia e um coronel do exército. O atentado também foi reivindicado pelo EI, que identificou o suicida como Abu Abdallah, um iraquiano. Depois deste ataque, xiitas atearam fogo a casas pertencentes a sunitas e a uma mesquita.

De acordo com um oficial iraquiano, a província de Diyala, onde se encontra Mouqdadiyah, foi “libertada” do grupo EI em janeiro de 2015, mas isto não pôs fim aos ataques lançados pelos jihadistas. O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) reivindica regularmente os atentados em Bagdá contra civis xiitas, comunidade majoritária no Iraque, a qual considera herege.

Serviços de Inteligência iraquianos informaram em dezembro ter capturado 40 membros do EI em uma série de detenções nos arredores de Bagdá. A organização extremista controla vastos territórios do país, a oeste e norte de Bagdá, após uma ampla ofensiva lançada em 2014.

Bombardeio – Uma coalizão internacional anti-jihadista, comandada pelos Estados Unidos, realiza há meses operações aéreas contra o EI no Iraque e na Síria. Nesta segunda-feira, esta coalizão anunciou ter bombardeado um banco da organização jihadista em Mossul, no norte do Iraque, onde eram guardados “milhões de dólares”.

(Com AFP)