Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Equador corta internet de fundador do WikiLeaks na embaixada

Julian Assange está exilado na embaixada equatoriana em Londres desde 2012, de onde ainda trabalha na divulgação de documentos confidenciais estrangeiros

O fundador do site Wikileaks, Julian Assange, teve o acesso à internet cortado na embaixada do Equador em Londres, onde vive exilado desde 2012. De acordo com o site, a conexão foi “interrompida de maneira proposital”, após a divulgação de materiais sobre a campanha da candidata americana à Presidência Hillary Clinton, na segunda-feira. A organização acrescentou que já “iniciou os planos de contingência apropriados”.

O grupo de ativistas pró-transparência havia afirmado nas redes sociais que a internet foi cortada por “órgão governamental”, que em seguida confirmou que se tratar do próprio governo do Equador. O WikiLeaks também afirmou que a corte da conexão ocorreu “poucos depois da publicação dos discursos de Clinton a Glodman Sachs”.

Nas últimas semanas, o grupo coordenado por Assange vem publicando e-mails e documentos confidenciais de membros de alto escalão do Partido Democrata americano. Entre eles, estão as transcrições de três discursos pagos de Hillary no banco Goldman Sachs, que o partido se recusa a divulgar.

Mesmo exilado, Assange segue trabalhando na publicação dos documentos que afetam as eleições americanas. Apesar de ter negado que as contas de e-mail foram hackeadas pelo governo russo, teoria defendida pelos democratas, Assange não quer revelar a fonte dos materiais.

O jornalista australiano está refugiado na missão diplomática equatoriana em Londres, onde pediu asilo há quatro anos, para não ser extraditado à Suécia, país quer interrogá-lo por crimes sexuais negados por ele. Assange teme que as autoridades suecas o entreguem para os Estados Unidos, onde poderia ser julgado por espionagem após o vazamento de milhares de documentos confidenciais do governo americano através de seu site.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Querem a Hillary de qualquer jeito. Parece que esse povo não conhece internet. Assange não precisa de conexão. WikiLeaks não precisa de Assange. O mundo não precisa de Hillary.

    Curtir

  2. VERDE e AMARELO

    Os globalistas querem matar Assange, ele sabe dos podres da Hillary, a Dilma americana, sucessora de Barack Maduro, o LULA americano!

    Curtir