Trump diz que usou “brilhantemente” leis de impostos nos EUA

O candidato republicano pode ter ficado até 18 anos sem pagar impostos, após alegar prejuízos, de acordo com o jornal The New York Times

O candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nessa segunda-feira que “usou brilhantemente” as leis tributárias nos Estados Unidos a seu favor, ao tentar limitar a quantia que paga em impostos. De acordo com o magnata, a estratégia o ajudou a sobreviver a um difícil período no mercado imobiliário.

“Eu fui capaz de usar as leis tributárias deste país e minha visão de negócios para sair da verdadeira bagunça imobiliária… quando poucos outros foram capazes de fazer o que eu fiz”, disse Trump a uma multidão em Pueblo, no Colorado. “Eu conhecia o sistema financeiro, eu conhecia o código de leis fiscais e, principalmente, eu sabia como brigar. Era isso que você tinha que fazer”, afirmou.

Leia também:
Trump pode ter ficado 18 anos sem pagar imposto de renda, diz NYT
Trump violou embargo à Cuba em 1998, diz revista
Hillary abre pequena vantagem sobre Trump após debate

Os comentários da segunda-feira foram os primeiros após a publicação de uma reportagem do jornal The New York Times, no sábado, que aponta que Trump alegou ter tido um prejuízo de 916 milhões de dólares em sua declaração de impostos de 1995. Legalmente, a perda de dinheiro em seus negócios pode ter permitido que ele não pagasse impostos federais por quase 18 anos.

A candidata democrata para as eleições de 8 de novembro, Hillary Clinton, usou a reportagem para atacar o adversário durante um comício em Toledo, Ohio, na noite de ontem. “Que tipo de gênio perde alguns bilhões de dólares em um único ano? Esse é Trump”, disse a ex-secretária de Estado. “Ele abusa do seu poder, joga com o sistema e coloca seus interesses na frente dos do país. É sempre Trump antes e todo mundo por último”, atacou Hillary.

(Com Reuters)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Rafael Lucena

    Se insistirem em falar mal do seu lado empresário, Trump leva esse mole. O Doria levou em SP porque soube capitalizar seu lado empreendedor bem sucedido. Como diria Joaozinho Trinta: “pobre gosta é de riqueza, quem gosta de miséria é intelectual!”

    Curtir

  2. Ouvimos a vida toda falar do tal “jeitinho brasileiro”… mas estou vendo que os norte americanos também tem táticas eficientes para burlar a lei. Lamentável.

    Curtir

  3. VERDE e AMARELO

    Estão acobertando que OBAMA recebeu o EUA com déficit de 6tri e está com um ROMBO de 21TRI, socialista sabe sumir com dinheiro alheio, gastou mais que a SOMA de TODOS os Presidentes americanos, um verdadeiro agente SABOTADOR!

    Curtir

  4. VERDE e AMARELO

    No lugar de “Pobre gosta de riqueza, quem gosta de pobreza é intelectual” eu trocaria o intelectual por COMUNISTA, por que a miséria é o material de trabalho do golpista.

    Curtir