Corpos de todas as vítimas do acidente da Germanwings foram identificados

A promotoria francesa autorizou o enterro e o envio dos restos mortais às famílias das 150 vítimas

Todas as vítimas do acidente do avião da Germanwings, que caiu em março deste ano nos Alpes franceses, foram identificadas e seus corpos serão enviados às suas famílias, indicou a procuradoria de Marselha nesta terça-feira. Especialistas levaram seis semanas para concluir todos os testes de DNA nos restos mortais encontrados.

“Os 150 certificados de óbito podem ser assinados agora, assim como as 150 permissões para enterro”, informou Brice Robin, procurador da cidade de Marselha. Cópias desses documentos, traduzidas em diversos idiomas, foram entregues aos representantes da companhia aérea Lufthansa, proprietária da Germanwings, para que os restos mortais das vítimas sejam entregues às famílias. O término do trabalho de identificação cumpriu o prazo inicial previsto pelas autoridades encarregadas do serviço.

Leia também:

Copiloto da Germanwings ensaiou seu suicídio em voo anterior

Mulher fingiu parentesco com vítima de acidente da Germanwings para voar de graça

Lufthansa não informou transtornos psíquicos de copiloto a autoridades, diz jornal

Segunda caixa-preta confirma ação deliberada do copiloto na queda do avião

No último dia 2 de abril, os investigadores afirmaram que tinham identificado 150 perfis genéticos diferentes, restando apenas atribuir cada um deles à vítima correspondente. Para isso, a comissão usou amostras de DNA enviadas pelos parentes, objetos encontrados na região do acidente e outros elementos.

O avião da Germanwings, que em 24 de março fazia o percurso entre Barcelona, na Espanha, e Düsseldorf, Alemanha, e se chocou contra os Alpes franceses uma hora depois da decolagem. Segundo as investigações, o copiloto do voo, Andreas Lubitz, trancou o capitão para fora da cabine do avião Airbus A320 e deliberadamente jogou a aeronave contra as montanhas, matando todos as pessoas a bordo.

(Da redação)