Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Chávez está ‘estável dentro de quadro clínico delicado’

Ministro da Ciência e Tecnologia da Venezuela, Jorge Arreaza, usou conta pessoal do Twitter para dar informações sobre estado de saúde do coronel

O ministro de Ciência e Tecnologia da Venezuela, Jorge Arreaza, afirmou nesta quarta-feira que o presidente Hugo Chávez apresenta estado de saúde “estável dentro de um quadro delicado”. Direto de Havana, o ministro utilizou sua conta pessoal no Twitter para dar a informação. “Chávez segue batalhando duro”, escreveu Arreaza, que também é genro do coronel.

Os rumores e a falta de precisão nas informações prestadas por membro do governo fizeram com que a oposição venezuelana cobrasse nesta quarta-feira transparência sobre o estado de saúde de Hugo Chávez.

“A exigência de que se diga a verdade é fundamental porque quando o doente é um chefe de Estado que acaba de ser reeleito para um novo mandato, há implicações que afetam toda a nação”, disse o secretário executivo da Mesa da Unidade Democrática (MUD), Ramón Guillermo Aveledo.

O coronel está internado há mais de 20 dias em Havana, Cuba, depois de ser submetido a uma cirurgia para combater um câncer na região pélvica – a quarta intervenção cirúrgica desde que a doença foi diagnosticada, em junho do ano passado.

Coma induzido – Em entrevista concedida em Cuba, o vice-presidente Nicolás Maduro disse que Chávez tem consciência sobre a complexidade de sua recuperação e admitiu que o estado de saúde atual do mandatário é “a adversidade mais dura” enfrentada pelo governo desde que Chávez chegou ao poder, em 1999.

Afirmou ainda ter encontrado o caudilho “com uma força gigantesca” e criticou o que classificou como uma onda de boatos sobre a saúde de Chávez. Uma das últimas informações não oficiais divulgadas sobre o pós-operatório de Chávez foi divulgada pelo diário espanhol ABC. A reportagem diz que o mandatário está em coma induzido e com os sinais vitais muito debilitados, mantidos graças a aparelhos. O desligamento dos aparelhos poderia ocorrer a qualquer momento, completou a publicação.

“Com febre constante, perda de consciência e sem responder aos antibióticos, o presidente venezuelano chegou ao fim do ano com cuidados intensivos”, disse o jornal, acrescentando que Chávez não ingere nada sólido desde que foi operado e que recebe alimentação intravenosa devido a extração de quase meio metro de intestino. Citando fontes de inteligência com acesso à equipe médica que cuida de Chávez, o ABC afirmou ainda que suas funções respiratórias estão sendo mantidas artificialmente depois da traqueostomia a que foi submetido devido a uma infecção que resultou na retenção de líquido nos pulmões. E que ele também está com insuficiência renal.

(Com agência Reuters)