Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Milton Cruz cogita 3-5-2 sacando Paulo Miranda, Casemiro e Jadson

O São Paulo que enfrentará o Cruzeiro no sábado começará a ser definido em treino fechado na manhã desta quinta-feira no CT da Barra Funda, mas Milton Cruz deixou claras as mudanças que pretende fazer e que já eram programadas por Emerson Leão. É praticamente certo que a equipe atuará com três zagueiros, e Casemiro, Paulo Miranda e Jadson podem ser sacados.

‘Vou conversar com o Paulo, o Jadson e o Cícero. Vou mudar a formação e quero ver se vão se encaixar, se estão acostumados a jogar dessa forma’, avisou o coordenador técnico, que, do trio, pode manter somente o volante entre os titulares – embora sua postura tenha gerado críticas dentro e fora do clube.

A intenção inicial do comandante interino era encaixar Rodrigo Caio como um terceiro zagueiro que jogasse também como volante na cabeça de área, mas o jogador está com a Seleção Brasileira sub-20. Por isso, Denilson pode fazer a função ou Jadson pode deixar a equipe para a entrada de um terceiro zagueiro.

‘O Jadson jogou muito tempo fora, não está acostumado com três zagueiros, mas é um grande jogador, tem talento. Não deve ter problema’, já tentou explicar Milton Cruz. ‘Vou fazer mudanças não só no esquema tático, mas em algumas peças que no momento não estão rendendo o esperado. Neste esquema, talvez este jogador não se encaixe’, continuou.

Na defesa, Paulo Miranda pode ser trocado por Edson Silva, Bruno Uvini ou até João Filipe, que raramente ficava no banco com Emerson Leão. As saídas tanto de Paulo Miranda quanto de Jadson, além da ameaça a Casemiro, mostram que Juvenal Juvêncio estava certo ao apontar ‘dois ou três atletas’ que deveriam ficar fora.

Mas Milton Cruz assegura que não há pressão na montagem do time. ‘Vou fazer alterações já pensadas, mas sem a interferência de nada nem ninguém. Tenho total liberdade do Juvenal para escalar e trocar quem eu quiser. Nunca interferiram na minha escalação’, garantiu, dizendo pensar mais no aspecto tático do que no psicológico.

‘Assisti ao jogo do Cruzeiro contra o Vasco em São Januário e vou assistir a outros. Mas sei que eles têm jogadores rápidos na frente, o Montillo chega como terceiro atacante e marcam forte no meio-campo com três volantes. E ainda jogaram com o Léo, que é zagueiro, na lateral. É um time que marca bastante. Terei que estudá-los’, afirmou.