Universo ‘X-Men’ terá série na TV. Confira 1ª imagem

Novo seriado televisivo da Marvel está previsto para estrear em 2017

O ator Dan Stevens na pele do personagem David Haller na série 'Legion', derivada de 'X-Men'

O ator Dan Stevens na pele do personagem David Haller na série ‘Legion’, derivada de ‘X-Men’ (VEJA)

A Marvel confirmou a produção da série televisiva da trama Legion, parte do cânone de histórias de X-Men. A primeira temporada, prevista para estrear no começo de 2017, vai contar com oito episódios. A série será feita em parceria com o canal FX.

Além da notícia, o site oficial da editora de quadrinhos divulgou a primeira imagem da produção com o ator Dan Stevens (Downton Abbey) na pele do protagonista David Haller. Na história, Haller é um jovem diagnosticado com esquizofrenia, até descobrir que as vozes em sua cabeça e as visões que tem podem ser reais.

Leia também:

A franquia ‘X-Men’ em números

‘X-Men: Apocalipse’ é um poço de decepções

Sophie Turner: de Sansa sofredora a poderosa de ‘X-Men’

Nos quadrinhos, o personagem é filho do professor Charles Xavier, líder da escola que treina mutantes e os transforma em X-Men. Haller nunca apareceu nos filmes da saga e ainda não se sabe se a trama televisiva vai interagir com futuras produções do cinema.

‘X-Men: O Filme’ (2000)

O primeiro filme da franquia, dirigido por Bryan Singer, é também considerado o marco inicial da atual leva de longas de super-heróis, que se tornou um dos filões mais rentáveis de Hollywood. A trama serve para inicialmente apresentar os personagens famosos nos quadrinhos. Vampira (Anna Paquin) e Wolverine (Hugh Jackman) se tornam fios condutores da história. Ambos são levados à escola do professor Charles Xavier (Patrick Stewart), onde descobrem que Magneto (Ian McKellen) tem um plano para vencer sua guerra contra a humanidade.

O filme, que abre uma trilogia, foi sucesso entre público e especialistas, conquistando 81% de críticas positivas no site Rotten Tomatoes, enquanto embolsou 296 milhões de dólares — valor bom para a época, especialmente pelo orçamento, o mais barato da saga, de 76 milhões.

‘X-Men 2’ (2003)

A sequência do longa de 2000, também dirigida por Singer, gira em torno da ação do mutante Noturno (Alan Cumming), que tenta assassinar o presidente dos Estados Unidos. Um grupo militar especial é criado com o objetivo de encurralar os mutantes da escola do professor Xavier, enquanto se preparam para enfrentar os humanos com dons especiais.

O filme é o mais bem sucedido da primeira trilogia dos X-Men. Além de arrecadar 407 milhões de dólares em bilheteria mundial, a produção recebeu 86% de aprovação no Rotten Tomatoes.

‘X-Men: O Confronto Final’ (2006)

O filme que fecha a primeira trilogia acompanha o desenvolvimento de uma medicação, considerada a cura para reverter as mutações dos seres humanos. Magneto se revolta contra a ação do governo, enquanto outros mutantes se interessam pela vacina.

Dirigido por Brett Ratner, o longa foi sucesso de bilheteria, com 459 milhões de dólares embolsados, mas falhou em qualidade, marcando 58% de aprovação no agregador de críticas especializadas.

‘X-Men Origens: Wolverine’ (2009)

Considerado um dos personagens mais populares entre os X-Men, Wolverine ganhou seu primeiro filme solo em 2009. Dirigido por Gavin Hood, o longa, que abre a segunda trilogia da franquia, aposta na descoberta sobre as origens do mutante, além de apresentar alguns outros nomes importantes, como Deadpool, interpretado por Ryan Reynolds, que ganhou em 2016 um filme para chamar de seu.

Apesar da popularidade de Wolverine, o longa foi o de pior desempenho da franquia até o momento. De qualidade duvidável, o filme recebeu 38% de aprovação no Rotten Tomatoes e somou modestos 373 milhões de dólares em bilheteria — pouco para o orçamento de 150 milhões de dólares.

‘X-Men: Primeira Classe’ (2011)

Dirigido por Matthew Vaughn, o filme é o primeiro da nova fase da franquia, que voltou no tempo, nos anos 1960, para mostrar o início dos X-Men. Professor Xavier agora é vivido por James McAvoy, um telepata milionário e bondoso, que decide usar seus poderes e suas finanças para o bem. Ele é amigo próximo de Raven (Jennifer Lawrence) e Erik (Michael Fassbender), mais tarde os vilões Mística e Magneto. No longa, os mutantes se unem para salvar o mundo de uma iminente guerra nuclear durante a Guerra Fria.

Sucesso mais de crítica do que de público, o filme somou 353 milhões de dólares em bilheteria e 87% de aprovação no Rotten Tomatoes.

‘Wolverine: Imortal’ (2013)

Para se redimir da má reputação de seu primeiro filme, Wolverine retorna em uma aventura solo para lidar com eventos que sucedem a trilogia original da franquia. O mutante imortal se vê, pela primeira vez, em real perigo, quando seus poderes começam a falhar.

O filme dirigido por James Mangold conquistou 414 milhões de dólares em bilheteria e 70% de aprovação da crítica especializada.

‘X-Men: Dias de um Futuro Esquecido’ (2014)

Sequência da renovação da franquia, o filme se sagrou até o momento como o melhor da série. A fórmula foi simples: unir uma trama querida nos quadrinhos com as duas gerações de heróis apresentadas no cinema. Na história, os mutantes tentam impedir um assassinato na Casa Branca, que resultará em uma guerra sem fim, que vai dizimar toda a humanidade.

Sucesso de crítica e público, o filme de Bryan Singer soma 747 milhões de dólares em bilheteria e 91% de aprovação no Rotten Tomatoes.

‘X-Men: Apocalipse’ (2016)

O último longa da franquia, dirigido por Singer, retoma os acontecimentos de Dias de um Futuro Esquecido. Xavier continua a treinar sua escola de alunos superdotados, enquanto Magneto se esconde das autoridades mundiais. O problema é quando o vilão Apocalipse (Oscar Issac) sai de um longo estágio de coma para comandar o fim da humanidade ao lado de quatro outros mutantes, entre eles, Magneto.

Em qualidade, o filme é o mais fraco da linha oficial – perdendo apenas para o primeiro Wolverine. No Rotten Tomatoes, ele soma 48% de aprovação. A bilheteria, por enquanto, soma 115 milhões de dólares.