Quem é Thaynara OG, a primeira estrela nacional do Snapchat

Maranhense é a primeira celebridade nacional de uma rede que já tem estrelas próprias nos Estados Unidos e na Noruega

“Kiu!”, ouvem diversas vezes ao dia os seguidores da maranhense Thaynara Oliveira Gomes no Snapchat. A expressão, usada em São Luís como uma espécie de vaia, já perdeu esse significado para os milhares de fãs da jovem de 24 anos e se tornou bordão. Ela está em todos os lugares, das postagens na rede de fotos e vídeos aos cumprimentos, feitos aos gritos por quem a encontra nas ruas. Gritos devidamente registrados – e compartilhados, é claro. A difusão da expressão é prova de que a popularidade de Thaynara OG, como é conhecida, vai muito além do que ela coloca no Snapchat, onde as postagens desaparecem um dia depois de publicadas ou assim que um destinatário específico as vê. Assim como o “kiu”, a moça tem estado em todos os lugares nos últimos meses: da publicidade para marcas de beleza ao trajeto da tocha olímpica, que foi convidada a conduzir.

LEIA TAMBÉM:

Christian Figueiredo: do YouTube à lista de mais vendidos

Thaynara é o primeiro fenômeno brasileiro nascido e criado no Snapchat, rede que já lançou pessoas ao sucesso no exterior, como o americano Shaun McBride, conhecido como Shonduras, e o norueguês Geir Ove Pedersen, o Geeohsnap, que se tornaram famosos ao usar a rede social para criar ilustrações que uniam fotos e os recursos do aplicativo. Hoje, as postagens da maranhense no app recebem cerca de 700.000 visualizações no período de 24 horas. Nas outras redes sociais, ela também já fincou os dois pés: tem cerca de 1 milhão de seguidores no Instagram e mais de 140.000 no Facebook.

Advogada formada pela Universidade Federal do Maranhão em março de 2015, Thaynara saiu do anonimato meses depois de deixar a faculdade, graças a vídeos engraçadinhos em que comentava a rotina, dava conselhos e apresentava amigos solteiros aos seguidores, na tentativa de promover um romance. Tudo feito com bom humor, desenvoltura e alguns poucos recursos de edição que o aplicativo disponibiliza, como zoom, filtros e textos sobre as imagens. “A Thaynara é muito engraçada, espontânea e autêntica, e criou uma estética própria no aplicativo”, afirma Luiz Felipe Barros, sócio da Digital Stars, empresa especializada em agenciar influenciadores digitais.

 

Usuária do Snapchat desde 2012, quando o aplicativo contava um ano de vida, Thaynara passou a investir mais no seu perfil no ano passado. “Depois de formada, comecei a estudar para o concurso da Defensoria Pública da União (DPU). Eu me sentia muito sozinha, então passei a contar o meu dia a dia no Snapchat”, diz. Seu perfil, inicialmente restrito a amigos, foi liberado ao público em outubro de 2015 e, já em dezembro, Thaynara começou a sentir o gostinho do sucesso. “Levei um susto quando a atriz Camila Queiroz falou no Snap dela que tinha aprendido a usar o recurso do zoom comigo. Nesse momento, eu percebi que era seguida por pessoas que eu jamais tinha imaginado.”

A mudança afetou a produção de Thaynara, que tem até quadros no Snapchat. Seções como Thay Responde, em que fala dela mesma e dá conselhos aos seguidores, e Bastidores, em que mostra, como o nome já diz, os bastidores das gravações dos snaps, ainda existem. Mas ela já não sai gravando as pessoas bonitas que vê ao andar pelas ruas de São Luís nem interage com uma prima de 10 anos em vídeo, esquetes recorrentes antes de ela se tornar um fenômeno de audiência. “Não consigo mais fazer o Alerta Magia porque as pessoas me reconhecem. E, no caso da minha prima, como ela é criança, menor de idade, acho complicado expor.”

Thaynara também se preocupa com os pequenos do outro lado da tela. Ao perceber que era seguida por crianças, começou a ter mais cuidado com o que diz nas redes sociais. “Sei que criança repete tudo o que vê. Então, não falo palavrão, por exemplo. Para fazer uma coisa divertida, o que vale é a criatividade.” Ela também não fala de assuntos controversos, como religião e política, que podem dividir os fãs. “Não que eu não tenha minhas opiniões, mas acho que o Snap não é lugar para isso. Você segue as pessoas para espairecer, ninguém está me acompanhando para me ter como formadora de opinião.”

$napchat – Até o início do ano, Thaynara encarava o Snapchat como um hobby e esperava se estabelecer no Direito, sua área de formação. “Estagiei por mais de um ano na DPU, onde tinha contato com pessoas e suas histórias, e gostava muito disso”, diz. Após decidir prestar concurso, ela passou a fazer cursinho e também a atuar como advogada – o concursado precisa ter pelo menos três anos de prática jurídica para assumir o cargo.

Em 2016, o plano do concurso caiu para segundo plano quando a maranhense se viu valorizada e requisitada por marcas e empresas interessadas em estabelecer parcerias. Já em janeiro, ela não aguentava mais receber tantos telefonemas de propostas. Foi então que assumiu a condição de celebridade, com a contratação de um empresário para ajudá-la. “Passei a viajar muito e não conseguia mais ir às aulas do cursinho, tive que trancar. Não abandonei essa carreira de vez, mas deixei de lado por enquanto, porque não dá para conciliar.”

Até o momento, o que Thaynara ganhava como advogada parece não fazer falta. “Consigo me sustentar com o que faço. A partir do momento em que você tem um engajamento alto em qualquer rede social, desperta o interesse comercial de algumas empresas. É realmente possível ganhar dinheiro com a internet.” Sorrir em eventos, indicar tinturas de cabelo para os seguidores e “invadir” o Snapchat de empresas para divulgar seus perfis são alguns dos trabalhos da jovem.

Além de receber cachê por tudo isso – ela não revela valores, alegando se esquecer com “tanta coisa acontecendo” -, ela também é agraciada com presentes enviados por candidatos a uma ponta em seus vídeos. Os mimos, que vão de chocolates a notebooks, são abertos em sequências de snaps, dentro do quadro Coisas Grátis. Ela, no entanto, sabe que seus seguidores não gostam muito desse tipo de postagem. “Sei que vocês vão pular os próximos vídeos. Nas Coisas Grátis, só os fortes me acompanham”, costuma dizer ao anunciar o quadro.

O Coisas Grátis não é exclusividade de Thaynara – o nome é criação sua, mas a prática é adotada por diversas celebridades e blogueiras, como Bruna Marquezine, Anitta e Kéfera Buchmann, que usam a rede social para promover marcas pelas quais são contratadas ou das quais recebem mimos. Também empresas, como Bradesco e Nike, criaram seus próprios perfis no aplicativo na tentativa de chegar a novos potenciais clientes, principalmente o público jovem, já que nos Estados Unidos, por exemplo, 60% dos americanos com idades entre 13 e 38 são usuários dessa rede social. E o Snapchat só vem crescendo: segundo reportagem da agência de notícias Bloomberg, o aplicativo possui 150 milhões de usuários ativos diariamente em todo o mundo, número que já o coloca à frente do Twitter.

 

“Elementos da fama” – Além dos ganhos materiais, o Snapchat rende a Thaynara “elementos da fama”, como ela costuma chamar os momentos em que é reconhecida na internet ou fora dela. Ser seguida ou citada por celebridades como Bruna Marquezine, Anitta, Dani Calabresa e Paulo Gustavo é um desses elementos. Outro é aparecer no programa da Xuxa, na Record, onde ensinou a loira a usar a rede social, ou no global Encontro, de Fátima Bernardes, em que falou do seu sucesso. Thaynara também realizou sonhos, como o de conhecer pessoalmente alguém de quem é fã – uma outra personalidade da internet, a youtuber Jout Jout.

Mas ser famosa não é só alegria. Thaynara conta que recebe, diariamente e até mesmo de madrugada, ligações de seguidores que descobrem o número do seu celular. E já houve uma situação alarmante em que o prédio onde mora, na capital maranhense, foi invadido. “Um grupo de dez pessoas entrou e chegou a bater na minha porta. Eu atendi, mas fiquei assustada.” Apesar de se expor bastante, a jovem poupa a família. Dos Oliveira Gomes, somente a irmã, Ludmila, 18, aparece com frequência nas postagens – inclusive já conquistou os próprios seguidores -, além de Jade Sinistra, a poodle velhinha que toma remédio para o coração. Seu namorado, uma relação recente, também não aparece, por ser tímido. “Ele é muito discreto, mas acho interessante que apareça um dia, para que as pessoas que me seguem há muito tempo acompanhem esse momento da minha vida.”

E, como quase todo famoso, Thaynara tem haters, pessoas que a criticam por tudo e por nada. Suas maiores realizações até agora vieram acompanhadas de julgamentos maldosos: ao ser escolhida por um dos patrocinadores oficiais do Rio 2016 para trazer a tocha de Genebra ao Brasil e conduzi-la por São Luís, foi detonada na internet. “A intenção do patrocinador era chamar alguém comum, que não estivesse ligado ao esporte, para representar milhões de brasileiros. Eu me senti muito especial”, diz. “Mas, na passagem da chama pela minha cidade, muitos atletas do Maranhão não foram convidados, então começaram a falar que uma pessoa qualquer da internet recebeu uma oportunidade que esportistas não tiveram. Eu não sabia que eles não haviam tido e achei que algumas pessoas foram injustas comigo.”

 

Por outro lado, Thaynara diz sofrer menos com os haters hoje. “Eu chorava muito no começo. Mas, quando a audiência cresce, a tendência é essa mesmo: atingir pessoas que não vão gostar do que você faz. É preciso saber que isso sempre vai acontecer e não só com você.”

A exposição exagerada e as críticas fazem parte do que é ser uma celebridade no século XXI. “As pessoas estavam acostumadas a admirar outras pelos personagens que elas criavam ou interpretavam, mas hoje há quem fique famoso mostrando a vida que tem”, diz Luiz Felipe Barros, da Digital Stars. E, se depender de Thaynara OG, sempre ágil e versátil em suas postagens, o número de críticos – assim como o de fãs – só tende a crescer. A maranhense está aí para provar que a popularidade na internet pode durar mais que um vídeo no Snapchat.