Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Procon notifica empresas após cancelamento de Mariah Carey

As empresas que tiverem agido de modo irregular serão multadas

Uma empresa acusa a outra pelo cancelamento da turnê que Mariah Carey faria nesta semana no Brasil, mas, para o Procon, todo mundo deve explicações. A Fundação Procon-SP notificou não apenas a Stage Entertainment, que era responsável pela organização da turnê brasileira da intérprete de Honey e, segundo a Lens Events, companhia detentora dos direitos dos shows, teria deixado de fazer um pagamento combinado com a cantora. A própria Lens e a Ingresso Rápido, de venda de tíquetes, terão de responder ao órgão de defesa do consumidor. As empresas que tiverem agido de modo irregular serão multadas.

“A Fundação Procon-SP, órgão vinculado à Secretária de Justiça e Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, notificou as empresas Lens Events, Stage Events e Ingresso Rápido pelo cancelamento do show da cantora Mariah Carey programado para o Brasil”, diz comunicado emitido nesta segunda-feira pelo Procon. “Na notificação, o Procon-SP solicitou que as empresas informem os motivos pelos quais o show foi cancelado, os meios de divulgação utilizados, as opções dadas aos consumidores para obterem reembolso e quais os canais disponíveis para atendimento.

De acordo com o Procon, a multa será calculada de acordo com o faturamento da empresa que se provar irregular e o número de consumidores atingidos. É difícil, porém, que chegue à casa do milhão. Entre os problemas gerados pelo cancelamento, estão os gastos que não podem ser reembolsados, como os de fãs que iriam viajar para ver o show e investiram em passagem e hospedagem.

Na semana passada, depois que Mariah Carey usou o Twitter para anunciar que não viria mais ao Brasil, a Stage se limitou a uma nota oficial. Já a Lens respondeu a perguntas enviadas pelo site de VEJA à sua assessoria. A empresa falou em “prejuízos incalculáveis”, mas não descartou trazer a cantora ao país em 2017.