Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Juno completa com sucesso missão de maior aproximação a Júpiter

A sonda passou 4.200 quilômetros acima das nuvens do planeta, viajando a 208.000 quilômetros por hora

A sonda Juno, da Nasa, fez história ao chegar mais próxima de Júpiter que qualquer outro módulo já chegou. No último sábado, a nave passou cerca de 4.200 quilômetros acima das nuvens do gigante gasoso, voando a 208.000 quilômetros por hora quando realizou o rasante. O objetivo principal da missão é investigar o funcionamento do planeta e analisar sua composição para responder a algumas perguntas como: do que ele é feito? Como é o seu núcleo (se é que ele existe)? Como é seu campo magnético? Ao respondê-las, conseguiremos compreender a formação não só de Júpiter, mas de todo o sistema solar, que inclui a Terra.

Leia também:
A Nasa chegou a Júpiter. Por que isso é importante?
Missão Juno envia sua primeira imagem após chegar a Júpiter
Missão Juno: Nasa divulga 1.300 fotos de Júpiter

De acordo com a agência espacial americana, este é o voo mais próximo de Juno em volta do planeta ao longo de toda a missão. “Estamos recebendo alguns dados intrigantes neste momento. Levará alguns dias para que tenhamos recebido toda a informação científica coletada pela sonda e ainda mais para começar a compreender o que Juno e Júpiter estão tentando nos dizer”, declarou Scott Bolton, o pesquisador principal da missão no Southwest Research Institute de San Antonio, nos Estados Unidos.

A Nasa também comemorou o feito pelo Twitter. “Sobrevoando Júpiter. Minha primeira visão de perto do gigante gasoso foi um sucesso!”, publicou o perfil da missão na rede social.

Missão Juno

A sonda chegou em julho à órbita de Júpiter, após cinco anos viajando no espaço. Foi a primeira nave impulsionada por energia solar enviada ao gigante gasoso e pioneira em orbitar um planeta que está além do cinturão de asteroides de polo a polo. A nave não tripulada tem o tamanho de uma quadra de basquete e as imagens obtidas durante a missão serão as de maior resolução já vistas do planeta gigante. A missão chegará ao fim em fevereiro de 2018.

A Nasa batizou a operação segundo um episódio mitológico. De acordo com a mitologia romana, Juno (equivalente a Hera, na mitologia grega) é a irmã e esposa de Júpiter (Zeus, na mitologia grega), a única capaz de penetrar nas nuvens em que seu marido se envolveu para camuflar suas infidelidades. Delicadamente, ela consegue descobrir a verdadeira natureza de Júpiter – o mesmo objetivo da missão espacial.