STF absolve deputado da acusação de falsidade ideológica

Alfredo Nascimento havia sido acusado de falsificar documentos ao omitir gastos da prestação de campanha eleitoral ao Senado, em 2006

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) absolveu nesta terça-feira o deputado federal Alfredo Nascimento (PR-AM) da acusação de falsidade ideológica. Por unanimidade, o colegiado entendeu que o parlamentar não pode ser punido criminalmente por ter omitido gastos da prestação de campanha eleitoral ao Senado em 2006.

De acordo com denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR), Nascimento deixou de declarar em sua prestação de contas na Justiça Eleitoral cerca de 15 mil reais em despesas com cartazes e banners. Ao julgarem a denúncia, os ministros entenderam que a conduta não constitui infração penal.

No processo, a defesa de Alfredo Nascimento alegou que o parlamentar não tinha conhecimento sobre os gastos e, por isso, não poderia declará-los.

(Com Agência Brasil)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Então o crime fique impune ? Justiça brasileira é uma grande bosta

    Curtir

  2. Qual é a novidade essa corja de vagabundos de toga absolver ladrões, corruptos?
    Vagabundo nunca condena vagabundo.

    Curtir

  3. PIZZARIA STF…Atendimento de toga :o)

    Curtir

  4. José Carlos Lopes de Oliveira

    Qual a novidade? Surpresa seria se absolvessem alguém que prestasse.
    Com inútil esse STF – de triste e vergonhosa lembrança – os safados estão nadando de braçado.

    Curtir

  5. Adilson Silva

    O STF vai de mal à pior! Cada dia que passa, alguns de seus membros no surpreendem com essa proteção excessiva de bandidos! O Ministro Marco Aurélio disse que a população está tão transtornada com tanta corrupção, que quer ver sangue! Senhor Ministro, não somos açougueiros, nem tampouco assassinos. O que nós temos é sede de Justiça, no que o Judiciário está nos deixando à míngua! A Justiça, vocês do STF, devem dar o povo a justiça, somente a justiça, nada mais! Se pelo menos fizessem isso, com imparcialidade, sem arrogância, sem falsas interpretações das Leis, sem enganar o povo, ficaríamos muito satisfeitos!

    Curtir

  6. O truque do “eu não sabia” ainda funciona?

    Curtir

  7. Evidente! Como condenar alguém com foro privilegiado? Isso não se faz! É para isso que ele existe!

    Curtir

  8. Talvez se tivesse roubado um sanduiche, uma pasta de dente ou um pedaço de chocolate…

    Curtir