Procurador perde a paciência com Emílio Odebrecht durante delação

“Deixe de historinha, de conto de fada!”, disse o procurador da República diante da naturalidade com que o empresário tratou os crimes de corrupção

Depois de horas interrogando o empresário Emílio Odebrecht, o procurador da República Sérgio Bruno Cabral Fernandes perdeu a paciência com o descaso e a naturalidade com que o delator tratava os casos de corrupção e financiamento ilegal de campanhas.

Emílio falava que a conta da Odebrecht para financiar campanhas eleitorais movimentou 300 milhões de reais em seis anos. Os pagamentos eram negociados com os ex-ministros da Fazenda Guido Mantega e Antonio Palocci. 

O empresário disse que não sabia de detalhes do uso desse dinheiro, mas que desconfiava que não era destinado apenas para campanhas, mas também para uso pessoal. Sérgio Bruno então perde a paciência e pede que Emílio “deixe de historinha, de conto de fada”. Disse que era “hora de jogar limpo”. O procurador acusou os dois ex-ministros de terem cometido corrupção.

“Está na hora da gente dizer a verdade, de como a coisa suja é feita. Não é possível um ministro da fazenda fique pedindo todo mês a um empresário. Isso não é admissível. Por mais que a gente esteja acostumado com isso, isso não é o correto e o senhor sabe disso”, disse o procurador, interrompendo o depoimento. “O Palocci e o Mantega, na qualidade de ministros, cada um em sua época, ao solicitar um valor a qualquer pessoa, cometeu o crime de corrupção. Sou obrigado a trazer o lado podre, o lado ruim”, concluiu.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Amaury Feitosa

    num país digno do nome este canalha teria sido preso no ato por tantos crimes cinicamente confessados e nenhuma atitude foi tomada … papo furado e nada é a mesma coisa quem tem peito de prender um megaladrão?

    Curtir

  2. Marcos MOraes

    Palhaçada do promotor; apenas mais uma dessa gente. Quer dizer que se não tivesse havido roubo, saúde segurança e educação no Brasil seriam alemães? Japonesas? Demagogia barata. MAM

    Curtir

  3. É o jeito baiano de falar e ser, o jeito mais malandro que o próprio baiano usa como legítimo, envergonhando os baianos que pagam impostos e trabalham honestamente. Vergonha senhor Emílio.

    Curtir

  4. luiz oliveira santos

    Ele se faz de inocente dando um tapa na cara de todos nós. Um empresário do calibre de seu Emílio Odebrecht se fazer de inocente, me faça uma garapa! Ele esta brincando de peteca com essa justiça brasileira; ele sabe que não vai dá em nada. Toma o dinheiro desses elementos e paga as dívidas do país.

    Curtir

  5. Leandros Parker

    De fato, parecia que Emílio estava se vangloriando do sucesso alcançado pela firma subindo todos os degraus da corrupção. Sua punição não deve ser tão generosa como têm sido todas as punições de delação premiada feitas até agora.

    Curtir

  6. sebastiao ferreira cantarino

    Esses delatores estão se vangloriando de ter comprado esses políticos bandidos. Fazem isso por que sabem que não vai dar em nada. Em um país de verdade, com leis de verdade, todos eles estariam na cadeia, seja quem pagou ou quem recebeu. E vou dizer mais, isso aí é em todas as áreas do brasil. Investiguem a vale do rio doce, é outro ninho de ratos. Investiguem o setor de energia , idem. O setor alimentício… Investiguem as prefeituras, não escapa uma sequer. Em 2018, todos estarão lá , nas urnas pedindo votos e vão se reeleger. O brasileiro merece o que tem!

    Curtir