Pane em sistema da PF paralisa emissão de passaportes

Falha prejudica agendamento pela internet e atendimento nos postos. Previsão é de que banco de dados volte a funcionar normalmente nesta terça-feira

“Recebi a garantia do serviço de processamento de dados de que amanhã (terça-feira) o sistema estará funcionando. Pedimos a Deus que isso realmente aconteça”, diz a chefe do Núcleo de Passaportes do Rio de Janeiro, Débora Pimentel Pereira

Uma pane no banco de dados da Polícia Federal paralisou, desde a tarde de sábado, o sistema de requerimento de passaportes pela internet. O procedimento via web é atualmente o padrão para todas as requisições – a exceção é a emissão de documentos de urgência e emergência, limitado a 50 atendimentos por dia, no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. De acordo com a assessoria da PF em Brasília, a previsão é de que o sistema esteja normalizado nesta terça-feira.

A orientação para quem tem entrega de documentos agendada pela internet para esta semana é, antes de dirigir-se aos postos da Polícia Federal, confirmar por telefone se o sistema está em operação. A página da instituição na internet informa o telefone 0800-978-2336 para esclarecimentos sobre o serviço de emissão de documentos de viagem. A assesoria da PF informa que o requerente deve tentar contato com o posto escolhido para o serviço.

Até a tarde desta segunda-feira, ainda era possível iniciar o preenchimento do formulário de requerimento pelo site da Polícia Federal. Pouco depois das 18h, no entanto, a opção de requerimento de passaporte foi marcada como “indisponível” na página da instituição. Consta, no sítio, que o serviço foi suspenso e deve voltar a operar normalmente a partir das 8h do dia 28 de setembro de 2010.

Passaporte

Passaporte (VEJA)

O problema no banco de dados, segundo a PF, afeta todo o país. No Rio de Janeiro, de acordo com a chefe do Núcleo de Passaporte da PF (Nupas), agente Débora Pimentel Pereira, cerca de 700 pessoas deixaram de ser atendidas desde sábado. “Só hoje tivemos que mandar de volta para casa 370 pessoas por causa do problema do site”, disse Débora.

Com a falha no banco de dados, o requerente não consegue concluir, na página da PF, o processo de agendamento e a emissão da guia para pagamento da taxa de 156,07 reais, exigida para emissão de documento de viagem.

Devido à pane, os agendamentos confirmados pelo site não estão sendo feitos. Quem agendou para o último fim de semana e para esta segunda feira foi surpreendido pela inoperância do sistema quando chegou ao posto escolhido para realização do serviço. “Recebi a garantia do serviço de processamento de dados de que amanhã (terça-feira) o sistema estará funcionando. Pedimos a Deus que isso realmente aconteça”, disse Débora.

A preocupação da chefe do Núcleo de Passaporte se deve à grande concentração de requerentes que atualmente opta pelo Rio de Janeiro. “Atendemos aqui muita gente de São Paulo e de Minas Gerais, pois o serviço no Rio tem sido mais rápido”, afirma. De acordo com a agente, nos postos do Rio de Janeiro o prazo normalmente é de 35 a 40 dias – entre o requerimento pelo site e a entrega no posto. As entregas programadas, segundo Débora, não foram prejudicadas.

A pane no sistema ocorre em uma época em que aumenta o movimento de renovação e emissão de passaportes devido à aproximação do período de férias. Mas é para quem depende do documento para trabalhar que o transtorno pode ser maior. A advogada Paula Araújo tentou, desde a manhã desta segunda-feira, obter um novo agendamento para renovação de seu passaporte no Galeão. O objetivo de Paula é viajar para os Estados Unidos, onde tem uma reunião de trabalho marcada para 21 de novembro. Ela, no entanto, só conseguiu se encaixar em horários depois dessa data.

Transtornos – De passagem comprada, Paula estava inconformada por ter perdido tempo no deslocamento até o Aeroporto do Galeão – distante cerca de 25 quilômetros do centro do Rio. “Quem é que vai pagar meu deslocamento, minha gasolina, minha alimentação e o dia perdido de trabalho”, protestava.

O sistema de urgência e emergência atende apenas casos especiais – como viagens para tratamentos médicos, falecimentos de parentes ou necessidade comprovada. O passaporte de urgência é um documento comum, emitido em 24 horas pela Casa da Moeda e com validade de cinco anos. Já o documento de emergência é feito na hora, confeccionado com base em documentos apresentados pelo requerente – entre eles identidade e título de eleitor – e com validade de apenas um ano.

LEIA TAMBÉM:

Anac suspende venda de passagens da Webjet