Mãe e filho agridem vice-diretora em escola de SP

Mulher foi chamada ao local para uma conversa devido ao mau comportamento do aluno; docente registrou boletim de ocorrência e caso será investigado

Câmera de segurança instalada nas dependências da escola estadual Jardim Rossin em Campinas, no interior de São Paulo, registrou as cenas de agressão de uma mãe e seu filho adolescente, aluno da instituição, à vice-diretora. A mãe foi chamada ao local para uma conversa sobre o mau comportamento do jovem, que havia se negado a realizar uma tarefa escolar e, repreendido, mostrou seu órgão genital para a vice-diretora.

No vídeo é possível ver a mulher carregando um bebê e conversando com a docente na porta de uma sala, com o menino um pouco mais afastado. Na sequência, ele também se aproxima delas, sem se envolver a princípio. A mulher então entrega o bebê para o filho e passa a se dirigir para alguém que não é possível ver dentro da sala, com a vice-diretora em seu entorno.

Veja também

A docente faz algum comentário e a reação imediata da mãe é agredi-la, provocando uma confusão, que atrai outras pessoas para a cena. É possível ver os dois, a mulher e o filho, desferindo socos e chutes contra a professora, que cai, antes da confusão ser apartada.

A Diretoria Regional de Ensino de Campinas afirmou, em nota, que “lamenta profundamente a conduta da mãe do aluno e do adolescente” e que a professora registrou boletim de ocorrência a respeito do acontecido, agora sob investigação da polícia. A administração regional apontou também que “presta todo o apoio à docente e a escola mantém medidas pedagógicas e educacionais para que casos assim sejam evitados”

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Carlos Marques

    Parabéns à professora que registrou a ocorrência. Nestas situações, costumam se omitir, pressionadas por suas Diretoras, que “não querem problemas” (sic). Isto em todo o Brasil.

    Curtir

  2. Carlos Marques

    E aí, milhares de professoras carregam seus traumas, por lidar cotidianamente com verdadeiros delinquentes, em silêncio. Viva o Brasil!

    Curtir

  3. Nelson Carvalho

    Sabe o que vai acontecer com estes agressores ???
    Nada. Absolutamente nada.
    Estamos num país onde as lei são feitas para ‘fazer de conta’ que existem.
    São estes exemplos que levam o Brasil a ser sempre um dos últimos em educação.
    Professor trabalha para apanhar.

    Curtir

  4. Winderson Adillan

    Essa raça de vermes deve ser exterminada!

    Curtir

  5. Crias do PT, chamem a Maria do Rosário.

    Curtir

  6. Isso não é nenhuma novidade. Vivemos uma grande hipocrisia onde todos esses ‘ excluídos ‘ só tem direitos e nunca deveres. Esses santos aborrecentes não podem ser reprovados, suspensos ou sofrer qualquer tipo de reprimenda, segundo os modernos conceitos de educação. Com certeza a vice-diretora ainda vai ser demitida por algum demagogo secretário.

    Curtir

  7. Thais Fernandes

    E não podem nem expulsar o indivíduo da escola.

    Curtir

  8. Wagner Lino de Gouvêa

    Resta saber, quais serão as medidas “pedagógicas” à serem tomadas, pois no Brasil, se tratando de justiça, se capricham tanto no português e nada na justiça…

    Curtir

  9. Edival Medeiros

    Parabéns à mamãe e ao filho adolescente que provavelmente apenas reagiram a uma agressão racista da vice diretora branca. A senzala reage!

    Curtir

  10. JOÃO CARLOS FÉLIX DA SILVA

    É lamentável, é nisso que se transformou o ensino no país, com os professores e a direção das escolas sendo agredidas. Que a justiça puna tanto o docente quanto à sua mãe, se é se pode chamar essa senhora de mãe.

    Curtir

  11. Vanessa Pereira

    Eu lembro que professor já foi profissão de prestígio. Hoje qualquer vagabundo disfarçado de estudante quer agredir professor. Uma pena que não se libere o porte de armas para mulheres.

    Curtir

  12. sebastiao ferreira cantarino

    É por causa de coisas como esta, que o ensino no brasil está onde está, no fundo do poço. As mães, que deveriam apoiar os professores na hora de corrigir os desvios de conduta de seus filhos, verdadeiros marginais, simplesmente não aceitam ver seus “filhinhos” sendo repreendidos. Como esse marginal aí, tem milhares pelo brasil afora, que vão para as escolas para vagabundear e não para estudar.

    Curtir

  13. Eleonora Saramago

    como se diz
    a fruta não cai longe do pé

    Curtir

  14. Jorge Costa Rêgo

    menino??? Pqp, esse galalau safado ja come gente e vcs tratando feito crianca. Se eu fosse marido ou filho dessa diretora ia buscar esse verme no inferno.

    Curtir

  15. Periferia, local de gente selvagem e vagabunda, não tem que fazer escola. Tem que construir é campos de concentração tipo Auschwitz.

    Curtir

  16. César Augusto

    Isso que dá tentar civilizar esses selvagens favelados…

    Curtir

  17. Geroldo Zanon

    o brasil DE TANTOS petistas bandidos que tem deveria ter pena de morte

    Curtir

  18. Mauricio Reppetto

    Você está enviando comentários rápido demais. Calma aí. O estagiário não gostou, o estagiário não publicou…

    Curtir

  19. Antonio Junior De Araujo Alexandre

    A covarde Diretoria Regional de Ensino acabará não prestando o devido apoio à educadora e, sim, passará a mão na cabeça dessa mãe bandida e de seu filho delinquente!

    Curtir

  20. ridney ferreira

    Prendam estes bandidos.

    Curtir

  21. Alzeri Bormann

    O castigo para essa falta de respeito com uma docente será o filho ser mais um delinquente… é lamentável.

    Curtir

  22. Brian Jeremias

    Quando vão prender esses macacos na jaula?

    Curtir