Justiça inocenta 14 acusados por cratera no metrô de SP

Acidente ocorreu em janeiro de 2007 e matou sete pessoas na Zona Oeste da capital paulista

A Justiça de São Paulo inocentou as catorze pessoas acusadas no caso da cratera do metrô de São Paulo, em Pinheiros, na Zona Oeste da capital paulista. O acidente aconteceu em janeiro de 2007 e matou sete pessoas. Entre os envolvidos, acusados por crimes contra a incolumidade pública, estão funcionários do Consórcio Via Amarela, responsável pela obra, e do Metrô.

Em decisão de maio, a juíza Aparecida Angélica Correia, da 1ª Vara Criminal, disse que “não ficou demonstrado que a conduta deles concorreu para a ocorrência do acidente” e que os acusados “não tinham como prever o acidente”.

Leia também:
Cratera do metrô revelou falhas na obra, diz MP

“A execução do projeto de obra estava dentro da normalidade, todas as equipes acompanhavam cuidadosamente cada passo da execução e não apontaram qualquer situação que indicasse a possibilidade de um acidente, mesmo a tendência da curva de instrumentação, a qual não atingia um estado de alerta”, afirmou a magistrada em sua decisão.

A juíza também justificou a absolvição dos réus dizendo que o poder Judiciário não pode se deixar influenciar “pelo clamor popular” com que foi recebida a notícia da tragédia, e que cabe a ele “analisar a questão, de maneira isenta” e com base nas provas colhidas.