Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Caso favela Naval: ‘Aquele tiro foi para sempre’

Hoje com 29 anos, filho do conferente Mário Josino conta a VEJA como o crime cometido pelo ex-policial militar Rambo mudou a sua vida

Kleiton Josino tinha apenas 9 anos quando seu pai, o conferente Mário Josino, foi morto a tiros pelo policial militar Otávio Lourenço Gambra, o Rambo, durante uma blitz na favela Naval, em Diadema (SP), em março de 1997. O caso ficou mundialmente conhecido após um vídeo mostrar que Rambo disparara a sangue frio e sem motivo aparente contra o carro em que estava Josino, que não tinha nenhum antecedente criminal e, na ocasião, ainda portava a agenda do trabalho. Hoje com 29 anos, Kleiton conta a VEJA como o crime mudou a sua vida e como as imagens (captadas pelo cinegrafista amador Francisco Romeu Vanni) “salvaram” o nome do seu pai. “Ele era o pilar de casa. Minha mãe (Josélia Ribeiro Josino) era analfabeta e ele, estudado, era quem me obrigava a ir à escola todos os dias. Queria que eu me tornasse alguém na vida, um jogador de futebol formado. Logo depois do seu assassinato, deixei de lado os estudos. Se não fosse o vídeo, o nome dele ficaria manchado para sempre, como mais um ‘marginal’ morto pela polícia. Ainda existem um monte de Rambos no mundo”, diz. Para nós, a perda do meu pai é uma pena perpétua. Aquele tiro foi para sempre”.

Para ler a reportagem na íntegra, compre a edição desta semana de VEJA no iOS, Android ou nas bancas. E aproveite: todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no Go Read.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Alex Cardozo

    Estou esperando a Veja lançar uma edição com a história da policia militar de SP contando quantas famílias de militares sofrem por terem perdidos país e mães de família enfrentando o crime…cadê?

    Curtir

  2. 1- “Logo depois do seu assassinato, deixei de lado os estudos.”
    Ou seja: NÃO OBEDECEU e ainda DESRESPEITOU o que o pai lhe ensinou.
    2- O que um “trabalhador” e “pai de família” estava fazendo naquele local numa HORA DAQUELAS DA MADRUGADA? Não tinha que levantar cedo para trabalhar no dia seguinte?
    Ou seja: Diga com quem e onde você anda, que eu direi: Você é MUITO pior!

    Curtir

  3. Sim onde estão as histórias contando os acertos de nossos policiais? Eu mesmo tenho uma história, pois os policiais salvaram a vida do meu filho!!!!

    Curtir

  4. Que pena!E o mulambo com o Kit presidiario faz o que da vida?Estuda,trabalha ?E util a sociedade ou e mais um parasita que suga?Quantos filhos tem?2,3,5 filhos.Esta dando a eles alimentaçao,educaçao,ou como descrito acima,es um parasita.E pelo AMOR DE DEUS…da proxima vez tire esse brinco horrivel e esse bone pra foto.SANTO DEUS,nao e so porque e pobre,precida ser cafona.

    Curtir

  5. Jose Luis Sepulveda Ostos

    Enquanto isso filhos de pm´s assassinados não contam para nada. Eles que se virem!

    Curtir

  6. Jarbas N. Cavalcante

    A imagem deste cidadão, expressa muito, muito mais que mil palavras…

    Curtir

  7. Amigo se teu Pai fosse um assassino ou um traficante vc teria recebido uma bela indenização, infelizmente morreu um pai de Familia, um trabalhador. Desejo o melhor para vc.

    Curtir

  8. heron Malaghini

    Crucificar a PM e defender caras como goleiro Bruno viva a midia brasileira

    Curtir