Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Articulações de Temer para barrar denúncia nas manchetes do dia

Presidente agrada deputados e negocia favores para obter apoio na Câmara dos Deputados

A sessão da Câmara dos Deputados que decidirá o futuro do presidente Michel Temer está nas manchetes dos principais jornais do país nesta quarta-feira. Segundo o Globo, Temer não economizou recursos públicos para tentar votar e rejeitar a denúncia por corrupção passiva contra ele. Deputados fizeram fila para negociar favores, e articulações incluíram agrado a ruralistas. O Estado de S.Paulo informa que o presidente se diz confiante, mas 213 deputados ainda são incógnita. 

Estado de S.Paulo
Temer faz corpo a corpo em busca de ‘indefinidos’
A Câmara poderá analisar hoje a denúncia por corrupção passiva contra Michel Temer, primeiro presidente da República a ser alvo de acusação formal por crime comum durante o exercício do mandato. Se houver quórum (342 presentes), os deputados votam por aceitar ou rejeitar o prosseguimento da denúncia. Para o STF julgar a acusação da Procuradoria- Geral da República, é necessário aval da Câmara.

O Globo

Temer vai ao limite
Em um mês, desde que a denúncia foi protocolada na Câmara, Temer já recebeu pelo menos 117 deputados em audiências. Só ontem foram mais de 30, sem contar reuniões com bancadas e eventos nos palácios. Além da enxurrada de emendas liberadas nos últimos dias, editou MP para parcelar dívidas no campo, o que atende à bancada ruralista, a maior e mais poderosa, com 230 deputados.

Juízes pedem reajuste de 16,4%
Apesar da crise, presidentes de três associações de juízes pediram reajuste de 16,38%, mesmo percentual que fora reivindicado pelo MPF. A verba precisa ser incluída pelo STF na previsão orçamentária, mas entre os ministros da Corte há resistências ao aumento.

Folha de S.Paulo
Em ofensiva, Temer afaga ruralistas e o ‘baixo clero’
O presidente é acusado de corrupção passiva por ser o suposto destinatário de R$ 500 mil entregues pela JBS a Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR). Nos últimos dois meses, Temer distribuiu cargos e destinou R$ 2,3 bilhões a emendas. Para que a acusação chegue ao STF, é necessário o apoio de 342 dos 513 deputados. Se a corte aceitar a denúncia, o presidente será afastado por atê 180 dias. O Planalto aposta na vitória e atua para garantir quorum na votação prevista para esta quarta na Câmara.

Valor Econômico
Temer joga tudo para barrar denúncia com votação alta
O presidente Temer deve ter votos suficientes hoje na Câmara para se manter no cargo e evitar o julgamento, pelo STF, da denúncia de que cometeu crime de corrupção passiva. A dúvida entre aliados e oposição é qual será o placar e o que simbolizará para a continuidade do governo.

Estado de Minas
Eles decidem
Na bancada mineira, Temer tem garantido o apoio de ao menos 8 dos 15 parlamentares que mais tiveram emendas empenhadas nos últimos dois meses. A expectativa do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), é que a votação seja concluída até a tarde de hoje. Representantes da oposição defendem que a votação seja feita à noite.