Abdelmassih sai de hospital e cumpre pena em casa

Com tornozeleira eletrônica, ele chegou à casa em que reside com a família no início da madrugada deste sábado

O ex-médico Roger Abdelmassih, condenado a 181 anos de prisão pelo estupro de pacientes em sua clínica de reprodução, deixou o hospital em que estava internado, no fim da noite da sexta-feira, em Taubaté. Com tornozeleira eletrônica, ele chegou à casa em que reside com a família, no bairro Pinheiros, em São Paulo, no início da madrugada deste sábado. Abdelmassih viajou de carro, acompanhado pela esposa e por dois profissionais de saúde.

O médico, de 73 anos, foi beneficiado com o regime de prisão domiciliar depois que laudos apontaram que ele é portador de cardiopatia grave. Ele obteve o benefício na quarta-feira (21), mas permaneceu no hospital para o tratamento de uma infecção urinária. Abdelmassih deve passar por exames a cada três meses e, caso sua saúde melhore, pode ser levado de volta para a Penitenciária de Tremembé, onde cumpria pena desde 2014.

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. JOSÉ ROBERTO DE LIMA MACHADO

    Recomendo uma “castração química” e um “acompanhante-babá” contratada entre os guerreiros massai da Tanzania.

    Curtir

  2. ronaldo euflasio

    Como sempre a justica fazendo injustica.soltarao um estrupador de dezenas de mulheres,talves se ele tivesse estrupado a mulher ou filha de algum ministro talves ele permaneceria preso.

    Curtir

  3. Leandros Parker

    A só justiça não percebe que está sendo enganada pelo monstro?

    Curtir

  4. Damastor Dagobé

    mulher gosta demais de médico..confia demais: devia repensar isso

    Curtir

  5. Marco Aurélio Canevari

    Cada dia acredito menos na justiça brasileira, pois ene presos morrem em pocilgas do sistema carcerário e esse criminoso contumaz vai morrer em casa?
    Dois pesos e duas medidas.

    Curtir

  6. Jorge Luís dos Santos

    SERIAL ESTUPRADOR NO CONFORTO DO LAR. Que “Justiça” é essa que respeita os cabelos brancos de um criminoso, e omite-se, em nome da lei, em se realizar-se em face das vítimas? JUSTIÇA INJUSTA!!!

    Curtir