Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Knausgård examina o momento em que se definiu como escritor

Chega às livrarias ‘A Descoberta da Escrita’, o quinto volume da série ‘Minha Luta’

(//Divulgação)

O norueguês Karl Ove Knausgård é um raro prodígio: escreveu uma série memorialística de mais de 3.000 páginas, na qual os fatos e atos mais comezinhos (lavar a louça, por exemplo) são descritos com minúcia — e se tornou um fenômeno mundial. Neste quinto e penúltimo volume de Minha Luta, A Descoberta da Escrita (tradução de Guilherme da Silva Braga; Companhia das Letras; 632 páginas; 69,90 reais ou 39,90 reais na versão digital), Knausgård examina o momento em que, entre a desilusão e a felicidade amorosa, se definiu como escritor, em um curso universitário de escrita criativa na cidade norueguesa de Bergen.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s