Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Por que virou “in” assistir a Ana Maria Braga?

Quem se recusa a acompanhar a evolução dos tempos acaba se entupindo de nostalgia

Muita gente diz que a vida é generosa comigo.

Eu concordo.

Mas queria pontuar uma coisa – nessa vida, só colhe quem semeia. Não tem colheita farta se você não dedicar seu tempo plantando.

Vejo muitos jovens buscando sucesso imediato. Pessoas no começo da carreira almejando algo instantâneo. Só que, cada vez mais, também presencio uma onda de frustração muito grande dessa geração. Pessoas que acabam iludidas pelo que é instantâneo. Querem arrancar a fruta sem nem adubar o solo.

Vim de uma família que não tinha muito dinheiro. Mas meu coração sempre alimentou muitos sonhos.

Os sonhos podem ser sementes poderosas. Mas, sozinhos, eles não fazem muita coisa.

Experimente jogar sementes num piso de mármore e me diga depois. Por isso, sei que existem momentos de plantar, existem momentos de colher. E eu sempre respeitei isso na vida.

Só que também sei que, por mais que eu esteja tendo uma boa colheita agora, ela só será possível amanhã se eu continuar plantando incansavelmente.

Estou contando isso pra vocês porque pode parecer estranho para alguns que eu, como estrela de primeiro escalão de uma grande emissora, possa estar tão feliz com os resultados de minha atuação na internet.

Faz pouco tempo que mudei todo o meu site, fiz uma plataforma mais colaborativa, orgânica, e mesmo tendo uma presença digital forte, sabia que podia investir mais em receitas, trazendo aquilo que sei fazer melhor de um jeito que chegue em todas as idades, agradando quem é de internet e quem é de radinho de pilha.

Dizem que eu estou na moda. Que virou ‘in’ assistir Ana Maria Braga, que os jovens piram com meus memes na internet.

A única coisa que eu posso dizer é que o show sempre tem que continuar. Enquanto tem música, dance. Pode mudar o ritmo, a estrofe, e até o cantor. Mas uma coisa é certa – quem se recusa a acompanhar a evolução dos tempos, acaba se entupindo de nostalgia. Engolido pelas próprias raízes.

Eu quero colher. Quero plantar. E quero criar tendência.

Não importa a sua idade. Não importa de onde você veio. O que importa é pra onde você vai. E mesmo que a gente vá um dia acabar tudo no mesmo buraco – esse intervalo entre o nascer e morrer só depende da sua habilidade em se reinventar diariamente.

A vida pode ser generosa com todo mundo.

Plante incansavelmente. Mesmo sob tempestade de areia.

E esteja aberto a ouvir os conselhos das pessoas.

Acho que essa é a maior generosidade que você pode ter consigo mesmo.

* Texto originalmente publicado por Ana Maria Braga, 68 anos, apresentadora da TV Globo, no LinkedIn Pulse.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Ataíde Jorge de Oliveira

    Quer dizer, do Çupla, né?/!

    Curtir