Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

O mundo parece ter desistido do teatro do obsceno no Brasil

A mãe de todas as crises é de tirar o fôlego, mas cobertura desatualizada e preguiçosa na imprensa estrangeira reflete desinteresse pelo “filme de  sempre”

Para nós, pode ser a catarse final. Para os de fora, é mais do mesmo.

Sem fôlego nem interesse em acompanhar os desdobramentos que nos estarrecem minuto a minuto, os jornalistas que se dão ao trabalho de atualizar o noticiário sobre o Brasil, mesmo que com compreensível atraso, vão deixando o assunto para lá.

Principalmente quando o tom da narrativa muda e, sem tirar do foco o atual presidente, passa a incluir seus dois antecessores.

A BBC, por exemplo, esconde lá no meio que os dois indigitados “receberam 50 milhões e trinta milhões de dólares para financiar campanhas políticas, segundo o testemunho”. O glossário da crise também só foi preguiçosamente atualizado em referência ao incumbente.

Um dos maiores indicadores de boas reportagens e análises que despertam atenção é o site agregador RealClearPolitics. Nos destaques da seção Mundo, aparecem artigos sobre Rússia, política externa americana, Balcãs, Nepal e Arábia Saudita.

Lá no meio, um fraco e desanimado comentário da Foreign Policy. O título praticamente diz tudo: “De novo, escândalo de corrupção presidencial atinge Brasil”.

A mãe de todas as crises e o pai de todos os delatores são assuntos sensacionais, com a torrente de obscenidades políticas e morais despejada em ritmo calmo e assustador como um rio de lava.

O neto do presidente que foi sem nunca ter sido, a Tia, o grão-eleitor da Tia, o incumbente. E o inabalável delator, o bilionário dono do “império cárnico” , na descrição do El País, contando tudo, nos mais íntimos e indecentes detalhes. Cada um deles mereceria infinitos espaços digitais. Recebem praticamente nada.

O único que faz um esforço é, justamente, o El País. Sua última reportagem sobre o tema fala, em tom algo exasperado, sobre os novos episódios de um “Brasil que está há meses trazendo à luz suas cloacas”.

O Financial Times, como é próprio de sua atividade, foca nas oportunidades e desoportunidades econômicas da crise. E faz graça, no título, com a atividade-meio do grande delator: “Açougueiro brasileiro deixa presidente na ponta da faca”.

E nós, onde ficamos?

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Bolsonaro tem que ganhar, proibir o esquerdismo e censurar qualquer coisa que fale mau do governo.

    Curtir

  2. Damastor Dagobé

    bons tempos quando juntavam dois goianos eram somente pra fazer duplas sertanejas…
    agora..que os dois cavaleiros do apocalipse brasileiros se chamem wesley e joesley é a cara do país é ou não é?

    Curtir

  3. Ricardo Ferrari

    MAS TODOS SABEM QUE DEPOIS DOS MILITARES SÓ RESTARAM LADRÕES QUE PILHAM, USURPAM, ROUBAM, TUDO O QUE PODEM DO BRASIL PARA SEUS BOLSOS,, E DEPOIS VEM DIZENDO QUE O SUS ESTÁ QUEBRADO?? QUE PRECISAM DE AUMENTAR A TARIFA DA ÁGUA, DA LUZ E ETC..??? E TOME IMPOSTOS NAS COSTAS DA POPULAÇÃO….POR ISSO NÃO TEM DINHEIRO PARA NADA, ROUBARAM TUDO!

    Curtir

  4. O mundo está dando risada do povo brasileiro. Lá fora, os brasileiros “progressistas” da sétima arte fazem questão de gritar “Fora Temer” e “Entra Lula”. Se encarregam de fazer a gente de bem passar mais vergonha. Eles pensam que estão abafando, mas estão sendo palhaços de franceses, ingleses, alemães e até de italianos e espanhóis. O Brasil desses últimos 15 anos virou piada para o mundo. É por isso que ninguém mais publica nada, e quando publica, publica errado.

    Curtir

  5. Pois é, você sempre fala da mídia golpista do EUA, mas plagiando o seu colega blogueiro, “patuscada” mesmo é a Veja dessa semana. A Edição já nasceu morta. Brilhante senso de oportunidade dos Editores.

    Curtir

  6. joão botelho

    Não passamos de mais uma republiqueta de bananas da América do Sul onde alguns novos ricos esnobam suas jóias roubadas. Não muito diferentes de Bolívia e Paraguai. É assim que nos vêem, pois, não damos motivos melhores. Fazer o que?

    Curtir