Para entender a endometriose

Ser portadora de endometriose não é mais razão de desespero, pois, hoje, essa é uma patologia controlável e até mesmo curável

Endometriose, palavrinha assustadora! Trata-se de patologia que se define pelo implante de células endometriais (tecido que menstruamos mensalmente) fora da cavidade uterina, mais comumente nos ovários, trompas e peritônio. Mas pode também acontecer na bexiga e no intestino.

O endométrio é o órgão que recobre a cavidade uterina, como se fosse uma almofada, é o tecido que descama a cada menstruação e tem a função nobilíssima de receber o bebê assim que é concebido. Por isso, sua integridade é fundamental para a gestação acontecer. Mas ele deve ficar em seu lugar, pois quando suas células migram surgem problemas, já que elas “sangram”.

Possíveis explicações

Existem várias teorias para explicar a ocorrência da endometriose. A mais conhecida é a chamada menstruação retrógrada, onde o sangue menstrual reflui pelas trompas, caindo na cavidade abdominal q as células se desenvolvem. Outras hipóteses são erros no desenvolvimento embrionário e, segundo pesquisas mais recentes, questões imunológicas e até a participação de células tronco.

Seus sintomas são principalmente dor e, em alguns casos, esterilidade.

Diagnóstico

Fazemos o diagnóstico através da história clínica de menstruações dolorosas, dor pélvica crônica e dificuldade de engravidar. No exame ginecológico confirmamos a dor e sinais de aderências. A ecografia transvaginal mostrará imagens suspeitas para a doença e a ressonância magnética mapeia com detalhes a localização e tamanho dos focos, e deve ser usada para programação cirúrgica. Além desses, o marcador tumoral Ca 125 pode estar aumentado, fortalecendo nossa suspeita.

Mas, vamos ao que interessa! Depois dessa suspeita, que angustia qualquer mulher, é importante esclarecer que temos disponível um arsenal muito vasto de tratamentos, e que curamos a maioria dos casos que aparecem!

Existe tratamento!

O tratamento inclui cirurgia, que com o advento da laparoscopia (cirurgia realizada através da introdução de uma câmera pela cicatriz umbilical e outros instrumentos por pequenas incisões no abdômen) na década de 70, melhorou muito, tanto em resultados quanto em conforto. Ela visa, em primeiro lugar, o diagnóstico definitivo, que necessariamente é realizado através de biópsia e da retirada e cauterização de todos os focos visíveis de implantes endometriais.

Após a cirurgia, há alguns caminhos a escolher. Temos que bloquear com hormônios a volta dos focos da doença, este pode ser uma progesterona, nos casos mais simples, ou um Análogo de GnRH para os mais graves. Este bloqueio dura, em geral, de 6 a 12 meses e é aconselhável a paciente tentar engravidar, se for seu desejo, logo após o tratamento hormonal.

Não podemos simplificar demais, porém, nos dias de hoje, ser portadora de endometriose não é mais razão de desespero, pois essa é uma patologia curável, na maioria das vezes, e controlável, sempre.

 

Quem faz Letra de Médico

Adilson Costa, dermatologista
Adriana Vilarinho, dermatologista
Ana Claudia Arantes, geriatra
Antonio Carlos do Nascimento, endocrinologista
Antônio Frasson, mastologista
Artur Timerman, infectologista
Arthur Cukiert, neurologista
Ben-Hur Ferraz Neto, cirurgião
Bernardo Garicochea, oncologista
Claudia Cozer Kalil, endocrinologista
Claudio Lottenberg, oftalmologista
Daniel Magnoni, nutrólogo
David Uip, infectologista
Edson Borges, especialista em reprodução assistida
Fernando Maluf, oncologista
Freddy Eliaschewitz, endocrinologista
Jardis Volpi, dermatologista
José Alexandre Crippa, psiquiatra
Luiz Rohde, psiquiatra
Luiz Kowalski, oncologista
Marcus Vinicius Bolivar Malachias, cardiologista
Marianne Pinotti, ginecologista
Mauro Fisberg, pediatra
Miguel Srougi, urologista
Paulo Hoff, oncologista
Paulo Zogaib, medico do esporte
Raul Cutait, cirurgião
Roberto Kalil – cardiologista
Ronaldo Laranjeira, psiquiatra
Salmo Raskin, geneticista
Sergio Podgaec, ginecologista
Sergio Simon, oncologista
Walmir Coutinho, endocrinologista

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s