Blog Felipe Moura Brasil

Felipe Moura Brasil

Análises irreverentes dos fatos essenciais de política e cultura no Brasil e no resto do mundo, com base na regra de Lima Barreto: "Troça e simplesmente troça, para que tudo caia pelo ridículo".

sobre

Felipe Moura Brasil estreou este blog em 2013, após dez anos como cronista na internet. Idealizou e organizou o best seller de Olavo de Carvalho, "O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota". Autor da Editora Record, trabalha em dois livros previstos para 2016.

“Você não vê que o Lula pode ser preso?” Vejo siiiiiiiiiiim!

Saiba dos bastidores da demissão de Cardozo e da ação da oposição contra novo ministro

Por: Felipe Moura Brasil

Trio Dilma Wagner Lula

1) “Você não vê que o Lula pode ser preso?”

Esta foi a pergunta feita por um dos dez deputados do PT que se reuniram com o então ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, segundo o Estadão, horas após a prisão do marqueteiro João Santana, em 22 de fevereiro, quando a casa do suposto partido caiu.

“É um abuso atrás do outro da Polícia Federal e você não faz nada”, reclamou o deputado petista, julgando um “abuso” a PF cumprir as leis do país sem poupar quem se quer acima delas.

“Eu não entendo o que eles querem que eu faça”, teria desabafado Cardozo após a reunião, com um amigo.

Dãã.

Claro que entende. Eles queriam que Cardozo desse um jeito de melar as investigações contra Lula e o PT.

Lula Cardozo

2) No dia seguinte, Lula “desfiou um rosário de queixas contra Cardozo” nos ouvidos de Jaques Wagner, que então lhe sugeriu o nome de Wellington César Lima e Silva, aliado do ministro da Casa Civil e integrante do Ministério Público da Bahia.

Dilma Rousseff “pretendia convencer Cardozo a ficar mais um pouco, mas petistas trataram de vazar a notícia sobre a saída para criar um fato consumado”.

Malandrinha essa gente, não?

“Dilma ficou irritada. Cardozo pediu demissão, mas não queria ser transferido para a Advocacia-Geral da União. Pretendia voltar para São Paulo. A presidente, porém, fez um apelo. ‘Eu preciso de você aqui’, disse ela”.

A mulher sapiens do PT precisa mesmo de seu advogado de estimação, especialmente agora que a construtora Andrade Gutierrez admitiu em acordo para delação premiada ter pago ilegalmente uma dívida da campanha de Dilma de 2010, no valor de mais de R$ 5 milhões.

150318160254_dilma_cardozo_640x360_epa_nocredit

3) Não que Dilma estivesse satisfeita com o desempenho de Cardozo como ministro.

“É fato que Cardozo não aguentava mais a pressão”, diz o Painel da Folha. “Mas Dilma também já havia perdido a paciência com as ‘surpresas’ da Lava Jato. ‘Não é possível, você é sempre o último a saber das coisas, Zé Eduardo!’, dizia ela, relatam testemunhas.”

Mas a saída de Cardozo do ministério da Justiça não finda o atrito entre Dilma e PT.

Antes hipótese remota, “um cenário de ruptura já não é descartado nem no Planalto”.

Até porque, acrescento, diante da impopularidade da suposta presidente, Lula e demais petistas não veem outra maneira de manter a força eleitoral do PT, especialmente com suas bases sociais, sem posar de oposição ao governo do próprio suposto partido.

Wagner Cesar

4) Ao novo ministro Wellington César, o delegado Edson Garutti mandou um recado:

“Não seja marionete”.

Impossível. O governo Dilma é feito de marionetes e César só assume o cargo por ser mais uma.

Melhor mesmo é fazer como o deputado Mendonça Filho, que entra hoje com ação popular na Justiça Federal questionando a nomeação.

Ele e outros parlamentares de oposição dizem ser inconstitucional que um membro do Ministério Público ocupe cargo no Executivo, a despeito de uma resolução do Conselho Nacional do MP que supostamente derruba essa vedação.

“Resolução do Conselho Nacional do Ministério Público não pode ser superior àquilo que está escrito na Constituição Federal”, disse Mendonça Filho à repórter Andréia Sadi, da Globonews.

Que bom que a oposição está vendo que Lula pode ser preso.

É hora de agir para impedir que o PT tire essa alegria da maioria dos brasileiros.

Felipe Moura Brasil ⎯ http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil

Siga no Twitter, no Facebook e na Fan Page.

Voltar para a home

Comentários

Aprovamos comentários em que o leitor expressa suas opiniões. Comentários que contenham termos vulgares e palavrões, ofensas, dados pessoais (e-mail, telefone, RG etc.) e links externos, ou que sejam ininteligíveis, serão excluídos. Erros de português não impedirão a publicação de um comentário.

Conheça as regras para a aprovação de comentários no site de VEJA

*