As provas das mentiras de Meryl Streep contra Donald Trump

À farsa já desmontada em vídeo deste blog se somam outras do discurso da atriz

Meryl Streep usou uma mentira da imprensa anti-Donald Trump, já refutada em vídeo deste blog durante a campanha eleitoral americana, para demonizar o presidente eleito dos Estados Unidos na noite de domingo (8).

Ao receber o prêmio Cecil B. DeMille pelo conjunto da obra durante a cerimônia de entrega do Globo de Ouro, a atriz atacou Trump, como se ele tivesse ridicularizado a deficiência do repórter Serge Kovaleski, do New York Times:

“Foi nesse momento que a pessoa que pediu para ocupar o lugar mais respeitado em nosso país imitou um repórter incapacitado. Alguém que ele superou em privilégio, poder e capacidade de reagir. Isso partiu meu coração quando eu vi e eu ainda não consigo tirar isso da minha cabeça porque não estava em um filme, era a vida real”.

Não era a vida real coisa alguma.

Era o “filme” de campanha dos torcedores de Hillary Clinton contra o candidato republicano, agora recauchutado pela afetação de bom-mocismo de uma premiada profissional da interpretação.

Eis as provas da farsa, em sua história completa:

Meryl, porém, ainda prosseguiu em seu teatro:

“Quando algo assim é feito por alguém poderoso, impacta a vida de todos, porque meio que dá a permissão para que outros façam a mesma coisa. Desrespeito convida desrespeito. Violência incita violência. Quando os poderosos usam sua posição para intimidar outros, todos nós perdemos.”

Como de costume entre militantes de esquerda, Meryl acusa Trump daquilo que ela faz no instante mesmo em que o acusa: usa sua posição de poder em evento exibido para milhões de espectadores para disseminar uma mentira infamante contra o presidente eleito, levando, por exemplo, a imprensa de outros países, especialmente a brasileira, a fazer a mesma coisa, como também de costume.

O provincianismo tupiniquim e o deslumbramento com atores famosos só agravam o quadro.

O efeito psíquico da demonização

Escrevi aqui em 10 de outubro de 2016:

“(…) É mentira, por exemplo, que Trump ridicularizou a deficiência de um repórter. Eu refutei essa mentira em vídeo. Acontece que mentiras infamantes, quando as pessoas nelas acreditam, têm o efeito de torná-las predispostas a ver o sujeito com maus olhos e a interpretar qualquer fala ou ato seus da pior maneira.

Isto é da psique humana e, quando ocorre na vida íntima, às vezes só boa terapia consegue fazer com que a pessoa seja capaz de rever os fatos novamente sem tal predisposição negativa. Muitas, mesmo informadas de que acreditaram em engodo, são incapazes de rever o ódio que o engodo alimentou.

A demonização política é calculada justamente para criar essa repulsa emocional automática que prescinda de maiores razões objetivas e sobreviva até mesmo às provas cabais de qualquer refutação, de preferência tornando dispensável a própria necessidade de examinar as qualidades da concorrência. (…)”

Jornalista com deficiência física não pode ter seu trabalho criticado?

Poucas coisas são mais nocivas à imagem de alguém do que ser visto como um zombador da deficiência física alheia, de modo que a militância de esquerda na imprensa, na internet e em Hollywood investiu o quanto pôde na campanha, e segue investindo apesar do vexame, para que Trump seja visto como tal.

Com frequência, esses militantes fazem jogos de palavras consciente ou inconscientemente para travestir de jornalismo a intenção de demonizá-lo, trocando a menção mais infamante e mentirosa sobre ridicularizar a deficiência em si pela mais genérica de imitar, zombar ou fazer piada com um deficiente.

No caso da primeira narrativa, o imenso contraste visual entre o agito braçal de Trump e o braço paralisado pela artrogipose de Kovaleski torna patente a mentira, bem como as provas em vídeo de que Trump repete há pelo menos uma década os mesmos movimentos ao “imitar” qualquer pessoa sem deficiência (inclusive ele próprio) em momento de perturbação, como fez (pasmem) naquele mesmo discurso em relação a um general.

No caso da segunda narrativa, que apenas dissimula a primeira, o fato de que Kovaleski é um deficiente simplesmente nada tem a ver com a história para qualquer cidadão não intoxicado de esquerdismo politicamente correto e/ou da necessidade de ganhar cliques com manchetes sensacionalistas na internet.

Ainda que Trump tivesse em mente a deficiência que se manifesta no braço direito de Kovaleski, este é um repórter do New York Times que responde publicamente pelas suas matérias como qualquer outro, e sua atuação – não sua deficiência – é passível de crítica por quaisquer leitores ou cidadãos nelas implicados, especialmente quando o repórter vem a público tentar desmentir um destes, recuando no que escreveu anos antes, como argumentou Trump.

A artrogipose de Kovaleski, que nada tem a ver com qualquer retardo mental, não torna seu trabalho, nem suas intervenções públicas decorrentes dele, imune a críticas; caso contrário, todos os jornalistas portadores de qualquer tipo de deficiência física não impeditiva para o seu ofício (como de braço, mão, pé, dedo…) teriam um passe-livre providencial para a mentira até o limite da inimputabilidade.

Imunizá-los é justamente tratá-los como mental e profissionalmente incapazes em função da sua deficiência física localizada ou doença congênita que assim se manifesta, o que constitui, aí sim, o verdadeiro preconceito contra deficientes – este que militantes de esquerda, no discurso, fingem querer combater, enquanto, na prática, exploram uma vitimização descabida para atacar adversários políticos e avançar a própria agenda ideológico-partidária.

Trump rebate Meryl

Trump usou o Twitter, seu contato direto com a população sem o filtro da imprensa esquerdista, para rebater a mentira da atriz premiada:

“Meryl Streep, uma das atrizes mais sobrevalorizadas em Hollywood, não me conhece, mas me atacou ontem à noite no Globo de Ouro. Ela é uma lacaia de Hillary que perdeu de muito. Pela centésima vez, eu nunca ‘zombei’ de um repórter incapacitado (nunca faria isso), mas simplesmente o mostrei ‘nervoso’ quando ele mudou totalmente uma história de 16 anos atrás que ele tinha escrito para me fazer ficar mal. Simplesmente mais mídia muito desonesta!”

As outras farsas de Meryl

A mentira sobre o caso do deficiente foi apenas a cereja do bolo do discurso militante da atriz, que começou fazendo de vítimas outros três segmentos, ali presentes na suntuosa festa do cinema:

“Vocês e todos nós nesta sala pertencemos verdadeiramente aos segmentos mais vilipendiados da sociedade norte-americana neste momento. Pensem nisso. Hollywood, estrangeiros e a imprensa”.

a) Hollywood

Pensem nisso: Meryl e seus colegas de Hollywood, que faturam milhões de dólares nas bilheterias de todo o mundo para depois pregar a redistribuição do dinheiro dos outros, agora são uns coitadinhos porque parte da população americana entendeu que eles fazem precisamente isto (como este blog aponta há anos) ou, em resumo, o que Meryl estava fazendo ali: propaganda de esquerda. Dã.

b) Estrangeiros

A atriz leu uma lista enorme de atores indicados a prêmios naquela noite para concluir que “sem os estrangeiros, só restariam o futebol americano e as artes marciais mistas (MMA), que não são as artes!”

Ou seja: Meryl demoniza o clamor de Trump e de seu eleitorado por regras que limitam a imigração ILEGAL para os EUA como “ódio por estrangeiros” e desejo de manter todos estes fora do país.

Vamos relembrar quantas vezes, só no Twitter, apontei o uso deste truque durante a campanha:

c) Imprensa

Meryl disse ainda que a imprensa livre precisa “ser vigilante do poder”.

Só faltou completar: do poder dos republicanos.

Porque, do poder dos democratas, mantido nos últimos oito anos, a imprensa se confirmou como mera extensão e porta-voz, vazando perguntas para Hillary antes dos debates, pregando abertamente o rebaixamento dos critérios jornalísticos para impedir a eleição de Trump e escondendo todos os escândalos, tragédias e fracassos do governo de Barack Hussein Obama, especialmente nos casos da reforma do sistema de saúde americano (Obamacare) e da política externa no Oriente Médio, que abriu caminho para o terrorismo islâmico.

Com a mentira sobre o caso do deficiente, Meryl simplesmente ilustrou a atuação desta imprensa que, assim como Hollywood, está furibunda por não conseguir domar Trump nem se fazer acreditar pelos 65 milhões de americanos que votaram nele formando a maioria exigida em maior número de estados.

Com a cobertura amiga da imprensa, o maior teatro de Hollywood, para usar as palavras de Meryl, “não estava em um filme, era a vida real”.

* A propósito:

– Jornalistas, “liberal” em inglês, na política, é “esquerdista” em português. Vocês criam uma confusão dos diabos traduzindo para “liberal”.

– Imprensa traduz: Trump “não ficou surpreso com as críticas do povo liberal do cinema”. Inversão. Trump se refere à esquerda holllywoodiana.

– Até Elio Gaspari no domingo traduziu “liberal” para “liberal”. Assim não dá, senhores jornalistas. Vão traduzir “push” para “puxar” também?

Felipe Moura Brasil ⎯ http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil

Siga no Twitter, no Facebook e na Fan Page.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Paula Marcondes de Souza

    Perfeito.

    Curtir

  2. Marcos Rodrigues

    Será que Trump vai acabar com rouanet?

    Curtir

  3. Pois é, mais uma mentira contra esse idiota. Se Pablo Escobar fosse vivo, candidato, e anti-esquerda… Você o apoiaria só pagode porque não gosta de esquerdistas?

    Curtir

  4. Gustavo Krelling

    Preguiça de quem ainda faz leituras de revistas como a Veja!

    Curtir

  5. Me admira um repórter de uma das revistas mais formadoras de opinião de direita criticar quando alguém com coragem o e destaque necessário a fim de abrir os olhos de pessoas que acham legal tomar atitudes preconceituosas, contra mulheres, estrangeiros, deficientes, latinos, muçulmanos e por ai vai… vergonha dessa reportagem!!!

    Curtir

  6. Marly Camargo

    Meryl Streep=Maria do Rosário.

    Curtir

  7. Grande parte dos jornalistas brasileiros torceram contra Trump e mentiram sobre as eleições americanas. Não sabia o porque, pois isso não nos interessava. Mas devagar descobre-se o motivo: Se o governo Trump der errado nos EUA esses jornalistas vão tentar enfiar guela abaixo, aquele pessoal de esquerda que gritou contra o impeachment. Só isso. Só uma nota que não tem importância. Não sou de direita não.

    Curtir

  8. Pedro Felippo

    Que materiazinha de quinta, só podia vir da revista mais sem credibilidade do Brasil. Trump não precisa ser desmascarado, ele já auto destrói a imagem dele sem precisar de ninguém para isso. Só não vê quem é cego pela ideologia da direita.

    Curtir

  9. Marcelo Monteiro

    Pedro Filipo, seu babaca, vai ler então aquela revista que pratica um jornalismo “exemplar”, aquela que recebeu 3,5 milhões de dinheiro roubado da Petrobrás para defender o PT. Tá fazendo o quê aqui? Lixo petista.

    Curtir

  10. Marcelo Monteiro

    Querido Felipe Moura Brasil, aconselho vc a filtrar melhor a aérea de comentários. A quantidade de mortadelas aqui chega a deixar o ar irrespirável!!! Faça uma limpeza, por favor!!!

    Curtir

  11. YODEL P. PULIDO

    Sr. Pro-Trump. Como formador de opinião, acho que essa seja sua função na sociedade, perdeu uma perfeita chance de ficar calado. Se já tinha falado sobre isso, para qué insistir na sua verdade? Todos sabemos que nos momentos que o mundo vive as políticas do futuro presidente americano são no mínimo assustadores. E nao se trata de ser de direita ou esquerda, se trata de sentido comum e nesse momento você o perdeu. Seguia vc nas redes sociais pois compartilho com vc algumas ideias, mas isso aqui me decepciona, é meu direito tão significativo como o seu de usar o prestigio que lhe outorga um blog de Veja para subestimar os seus leitores.

    Curtir

  12. Jaqui Parpinelli

    Eu ainda concordo com ela em muitos aspectos… Agora ele é presidente e as pessoas amam e defendem ele?

    Curtir

  13. E library é livraria, né?

    Curtir

  14. Raphael Moura Freitas

    Esses leitores do brasil247 estão que nem mariposas no último dia de vida, se debatendo de raiva vendo a Direita crescente no mundo todo. Dia 20 é a posse de Trump e Bolsonaro estará lá para apertar a mão de seu colega político e ideológico. Relaxem que é só o começo, em 2018 a Direita se estabelecerá efetivamentes no Brasil e no mundo.

    Curtir

  15. Talita Arantes

    Obrigada, Felipe.

    Curtir

  16. gustavo da silva nascimento

    Falar sobre imprensa livre e expulsar imigrantes choveu no molhado. Contudo o Trump “imitou” o jornalista e isso mostra um enorme desrespeito ( e não só uma cereja no bolo) à pessoa e, de certa forma, eclipsou a justa crítica. Em termos políticos acho q o Trump deveria ignorar e não precisava responder a atriz.

    Curtir

  17. Sidney Alves de Oliveira

    Felipe
    O Jornalismo HIPOCRITA e Dirigido da rede bobo !!! Infelizmente corroborou com a famosa artista.
    Não poderíamos esperar por outra neee
    Da-lhes amigo go ahead
    Baita abraco

    Curtir

  18. Lucas Namasu

    É isso que se chama de “verdadeiro trabalho de jornalista”! Parabéns!

    Curtir

  19. que texto bosta

    Curtir

  20. Roberto Ferreira

    FMB… Parabéns, mais uma matéria excelente onde você abaixa as calças dos esquerdopatas vermelhos… Somos todos Bolsonaro/Trump

    Curtir

  21. Barreto De Almeida

    Acho que essa turma assassina o Trump antes da posse.

    Curtir

  22. Ciro Lauschner

    João Paulo, voce leu a reportagem?Assistiu ao vídeo?Dá a impressão que vc. só veio aqui para fazer o que petista é especialista:mentir!

    Curtir

  23. Leandro Dutra Pereira

    Ue! Mas esse vídeo só deixou mais nítido que ele imitou o repórter…kkk…minha opinião!

    Curtir

  24. Quanto empenho em defender Trump!
    Comovente…

    Curtir

  25. Carlos Gomes

    A esquerda não se conforma em ser retirada do cenário, mas é uma questão de tempo.

    Curtir

  26. Carlos Gomes

    A maioria das pessoas prefere ser enganada, ouvir mentiras em tom suave.

    Curtir

  27. O presidente eleito vai passar os 4 anks agindo como um colegial, que, a cada crítica recebida se dá ao trabalho de ir responder (com palavras) e por vezes descendo aí dá mais o nível do debate…Tem bastante tempo disponível esse presidente… Aliás, alguém aí sabe quando o Reinaldo Azevedo volta a escrever???

    Curtir

  28. Yves Silveira

    que piada de matéria, mais um lambe bolas de políticos

    Curtir

  29. Yves Silveira

    pessoas, não tenham políticos de estimação. Tanto de direita, quanto de esquerda são podre…. não deixem ideologias cegarem suas opiniões , sejam mais humanos e menos idiotas …bjs

    Curtir

  30. Omar Pereira

    Matéria exaustiva como o caso requer. No que diz respeito às eleições norte-americanas e seus desdobramentos esta coluna é ponto de parada obrigatória. Parabéns ao jornalista pelo relevante trabalho.

    Curtir

  31. Sartoryi Sartoryi

    Blog
    Felipe Moura. vc é um mentiroso.

    Curtir

  32. Nuss, mas só falou besteira.

    Curtir

  33. Rocio Avelino da Silva

    A pior derrota entre dois impérios não é aquela que o exército adversário é dizimado ou exposto a humilhação, e sim quando um chefe de Estado derruba o outro sem matar ninguém. Não sei o que é mais vergonhoso para os republicanos, ser derrotado pelos próprios seguidores ou admitir que os Russos são melhores tecnologicamente.

    Curtir

  34. Jorge Andrade

    É isso aí Felipe ! Força! Continue marretando a cabeça da esquerdalhada. Eles querem falar uma mentira mil vezes e não querem ouvir a verdade duas.

    Curtir

  35. Cícero Thiago

    Sempre direto e preciso nos seus artigos. Perfeito, Felipe! Gostaria apenas de mencionar que, como o lutador brasileiro de MMA Demian Maia lembrou bem, o esporte foi trazido aos EUA por imigrantes: foi a família Gracie que criou o UFC e ainda desenvolveu o estilo de luta que é básico para o esporte, o Brazilian Jiu Jitsu. Quanto às atrizes citadas, Amy Adams e Natalie Portman, realmente não nasceram nos EUA mas foram naturalizadas, ou seja, estão lá legalmente. Duvido Meryl dar um exemplo de contribuição para Holywood de estrangeiros ilegais rsrs.

    Curtir

  36. Roberta Sciberras

    A questão aqui não é Direita X Esquerda, mas sim o ato deplorável do presidente eleito, porque sim, ele imitou sim o repórter! E suas outras imitações não o inocentam de nada, ao contrário, demonstram uma total falta de postura e ética diante de seu público…. Eu realmente li o artigo com a disposição de esclarecimento, mas decepcionei-me mais uma vez com esta revista e seus colaboradores…. Uma coisa é defender práticas políticas e econômicas, outra é tentar provar e defender o indefensável, atitudes deploráveis e vexatórias. Tenho uma filha com deficiência física e observo a capacidade assustadoramente cruel que algumas pessoas tem ao imitarem deficientes. Acho que deveria realmente rever seus conceitos Felipe. Defenda a Direita, mas defenda representantes dignos à assumirem esta representação. Lamentável….

    Curtir

  37. Os torcedores da Hillary deveriam aceitar a derrota, doí menos. Trump é um touro indomável, ele simplesmente triturou o cabresto que a imprensa esquerdista, Hollywood e os meios acadêmicos sempre colocaram nos republicanos e isso os deixam furiosos. Fazendo isso, tentam desviar o foco dos mal explicados e-mail´s apagados de Hillary, de doações suspeitas para a Fundação Clinton, de sua atuação enquanto Secretária de Estado, do fracasso do Obamacare, da criação e fortalecimento do Estado Islâmico durante a gestão Obama.

    Curtir

  38. Barbara Andrade

    Excelente trabalho Felipe Moura Brasil. Assisti seu vídeo anteriormente e concordo. Parece que as pessoas colocam um “tampão” na mente e se limitam, não querem analisar as coisas. Acham aquilo e acabou. Acho que tem preguiça de pensar e pesquisar (Normal, né?). Obrigada pela análise dos fatos.

    Curtir

  39. Humberto Garcês

    material impecável

    Curtir

  40. Valdecir Soares

    Parabéns Felipe Moura muito boa a sua reportagem e mostra que vc não é mais um repórter como tantos que tem, infelizmente! na grande maioria que apoia essa raça de comunistas que só importa com eles e seus bolsos e não estão nem ai pelos mais pobres infelizmente, hoje no mundo é só comprar uns famosos, que destruir a família a liberdade e dar asas pro crime a desigualdade ,pois se um que é famoso apoia a grande maioria não da bola pra realidade

    Curtir

  41. Carla V M Souza

    Sabe o que eu acho engraçado? Essa mulher, Meryl Streep, falou que Trump imitou um deficiente, mas nao defendeu um deficiente, supostamente eleitor de Trump, quando este foi atacado por quatro esquerdistas aqui nos EUA. Ela defende a imigraçao tao falada por Trump, ao dizer que vai construir um muro (muro este que já existe, feito por Bill Clinton, marido da mulher que ela tanto apoiou. Irônico, né?) mas ela tb nao fala do pior presidente dos EUA atualmente chamado Barack Obama, que foi o presidente que mais deportou imigrantes nos EUA. Com relaçao a imigraçao, Trump foi bem claro ao se referir aos imigrantes ilegais BANDIDOS. No meu conceito ela perdeu muito mas nao adianta, querida, Trump é o presidente vc querendo ou nao.

    Curtir

  42. Daniel Cavalcante

    Que argumentos mais frágeis esse colunista utilizou.

    Curtir

  43. Mauricio G. de Oliveira

    E uma tristeza como voce FELIPE MOURA BRASIL e cego, com uma capacidade de raciocinio de uma criancan de dez anos, ao parabenizar este ‘BULLIE’ donald trump homem que nao cresceu mentalmente, e somente se cree o mais capaz intelectualmente que o mundo todo. Ele deve achar voce um bom periquito das asnices que ele fala. Ele sera oque lula foi para o Brasil.

    Curtir

  44. Felipe, tenho conseguido entender o que se passa na eleição americana através do seus comentários. Se bem que para mim até o momento, se eu fosse eleitor americano, estaria atordoado na hora da escolha; Trump x Hilary ou em 1989 Collor x Lula , escolher quem?

    Curtir

  45. Márcio Machado da Silva Silva

    Os esquerdinhas invadiram a área de comentários do Felipe Moura Brasil, não aguentam ouvir a verdade e ficam aqui chorando. Caiam fora daqui seus idiotas!

    Curtir

  46. Dalva Braga Scisleski

    olá, …Bom pessoal, eu sou totalmente a favor de Donald, e quero dizer a Meryl, que pessoas deficientes também podem ser mau-caráter e merecerem ser criticadas sim…Pronto, falei…

    Curtir

  47. Se fosse só aquilo de imitar o boneco de posto de gasolina, para ofender o jornalista naquilo que ele acha que mais o atingiria, já seria uma conduta lastimável. Mas por tudo o que ele disse e fez, torna-o um presidente extremamente lesivo ao mundo.

    Curtir

  48. Silvia Bustamante Sa Lisandre

    Quanta bobagem…Mon Dieu!

    Curtir

  49. Parabéns pela matéria Felipe Moura Brasil.
    👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏

    Você se diferencia de quase todos os jornalistas da mídia brasileira e mundial pelo simples fato de se comprometer com a verdade, ainda mais assim, mostrando a prova.

    É um alívio nas desinformações, distorções e mentiras que nos enfiam goela abaixo em todas as mídias.

    O mais lindo é o chilique daqueles que não suportam a verdade aqui nos comentários. Rsrsrsrsrsrs

    Curtir

  50. Rita De Cássia De Lima Trevisan

    Com frequência, esses militantes fazem jogos de palavras consciente ou inconscientemente para travestir de jornalismo a intenção de demonizá-lo, assim como uma mídia desavergonhadamente partidária e hipócrita, trocando fatos, palavras como as convém não é?

    Curtir