Clique e assine a partir de 8,90/mês

Volatilidade no auxílio desemprego nos EUA indica desafio da retomada

Recuperação do mercado de trabalho é lenta e impulso depende de entendimento no Congresso sobre a aprovação de um pacote robusto de incentivo à economia

Por Luisa Purchio - Atualizado em 1 out 2020, 11h13 - Publicado em 17 set 2020, 14h16

Dados apresentados nesta quinta-feira, 17, pelo Departamento de Trabalho dos Estados Unidos, sobre o pedido de auxílio desemprego mostram que a economia americana continua se recuperando em meio à batalha contra o novo coronavírus, mas em velocidade lenta. O dado, semanal, é usado por economistas como termômetro do dinamismo das atividades. Na semana que se encerrou no dia 12 de setembro, o número de benefícios solicitados foi 860 mil, 33 mil a menos que na semana anterior. O índice veio levemente acima da expectativa dos analistas, que projetavam 850 mil solicitações. Na semana anterior, o número de pedidos havia sofrido um leve aumento, uma volatilidade que tem sido comum desde julho, quando começaram a findar os pacotes mais robustos de benefícios à população. Apesar do sobe e desce, a tendência desde então é de queda no número de pedidos, o que indica a retomada.

Essa volatilidade mostra que o caminho para a economia americana se restabelecer dos impactos da Covid-19 e da paralisação das atividades serpa longo, no aguardo de novidades sobre a vacina contra o vírus.Os dados apresentados hoje vêm ao encontro do pronunciamento de ontem de Jerome Powell, presidente do Federal Reserve, que reafirmou a necessidade de mais incentivos à economia, como juros próximos a zero até pelo menos 2023. Powell não cravou uma meta específica sobre o índice ideal de desemprego, mas afirmou que o banco central americano continuará monitorando áreas como emprego, salário e inflação – cuja meta está em 2% – para definir as ferramentas de política monetária. Para um impulso mais forte na economia americana, no entanto, Powell afirmou que o Fed tem limites em sua atuação e que são necessárias ações por parte do Congresso para auxiliar na renda e incentivar trabalhadores que procuram postos de trabalho. Na quarta-feira, o BC dos EUA manteve a taxa de juros inalterada, no intervalo entre 0% e 0,25%.

O tema, porém, caminha a passos lentos e há pouca possibilidade de aceleração nas próximas semanas. Republicanos e democratas travam uma verdadeira batalha política no Congresso a menos de dois meses da eleição presidencial dos EUA. Tendo em vista que os auxílios aos trabalhadores são cruciais à popularidade de Trump, certamente esse será um problema de cada vez mais difícil resolução até o dia 2 de novembro, data da decisão eleitoral.

Publicidade