Clique e assine a partir de 9,90/mês

Vídeo: veja o momento da confusão que encerrou sessão com Guedes na Câmara

Ministro reagiu a Zeca Dirceu (PT-PR), que o acusou de ser ‘tigrão’ quando a reforma tratava dos mais fracos e ‘tchutchuca’ quando envolvia privilegiados

Por Da Redação - Atualizado em 3 Apr 2019, 22h15 - Publicado em 3 Apr 2019, 21h33

A audiência com o ministro da Economia, Paulo Guedes, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados sobre a reforma da Previdência, foi encerrada por volta das 20h30 pelo presidente Fernando Francischini (PSL-PR) após uma confusão se instalar no local depois que o deputado federal Zeca Dirceu (PT-PR) chamou o auxiliar do presidente Jair Bolsonaro de “tchutchuca”.

Zeca, filho do ex-ministro José Dirceu (PT), disse que o ministro era “tigrão” quando a reforma tratava de aposentados, idosos, agricultores e professores, mas “tchutchuca” quando tratava dos mais privilegiados do país, banqueiros e rentistas. O ministro se revoltou com a declaração. “Tchutchuca é a mãe, é a avó”, afirmou Guedes ao deputado.

A sessão virou uma confusão generalizada e foi encerrada. Deputados governistas tomaram as dores do ministro e bateram boca com Dirceu e outros parlamentares da oposição, que fustigaram o ministro durante a audiência de mais de seis horas. Houve ao menos três momentos em que houve tensão entre Guedes e parlamentares.

“Tchutchuca” e “tigrão” são referências à música “Tchutchuca”, que, lançada em 2001, alçou ao estrelato o grupo de funk carioca Bonde do Tigrão. Parte da letra diz “Vem, vem, tchutchuca / Vem aqui pro seu tigrão”.

Continua após a publicidade

Veja a confusão:

Publicidade