Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Usuários da Apple poderão baixar e excluir dados coletados pela empresa

O recurso está disponível apenas nos Estados Unidos, Canadá, Austrália, União Europeia e Nova Zelândia - mas até o fim do ano chegará ao restante do mundo

A Apple lançou nesta quarta-feira (17) uma ferramenta online para que usuários possam baixar, alterar e excluir dados pessoais coletados pela empresa. O recurso está disponível nos Estados Unidos, Canadá, Austrália, União Europeia e Nova Zelândia. A nova ferramenta será lançada no restante do mundo até o final do ano.

Dispositivos como o iPhone ou o Apple Watch coletam dados detalhados sobre os usuários, como telefonemas efetuados. Eles também rastreiam informações biométricas, como batimentos cardíacos e impressões digitais.

Na prática, a Apple não consegue acessar a maioria dos dados — uma vez que os dispositivos são protegidos pela tecnologia de criptografia. Mas informações, como hábitos de leitura, são armazenadas para melhorar as sugestões do aplicativo Apple News.

A empresa diz que busca transformar sua política de privacidade em uma vantagem comercial contra seus rivais do setor de tecnologia.

No início do ano, o presidente-executivo da empresa, Tim Cook, disse que, ao contrário do Facebook, a Apple não se envolveria num escândalo de vazamento de dados. A rede social é investigada pelo compartilhamento indevido de dados de usuários com a consultoria Cambridge Analytica, que participou da campanha de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos.