Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

TST faz proposta para evitar greve dos Correios

Negociação inclui reposição salarial pela inflação no período, medida pelo INPC, sem reajuste real

Por Da Redação - Atualizado em 7 ago 2018, 19h35 - Publicado em 7 ago 2018, 15h44

Para evitar uma greve nacional prevista para esta quarta-feira, 8, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) apresentou nesta terça 7 uma proposta de conciliação entre os Correios e seus funcionários.

Segundo o vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro Renato de Lacerda Paiva, a proposta inclui reposição salarial pela inflação no período (com perdas de 3,68%), medida pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), sem reajuste real, e está condicionada ao fim dos planos de greve. Ou seja, a remuneração só será reajustada se a categoria desistir da paralisação  prevista para esta quarta, 8.

Os funcionários têm até quinta-feira, 9, para avaliar e votar a proposta em assembleia, enquanto os Correios têm até sexta-feira, 10, para se manifestar.

Procurada, a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) informa estar avaliando a proposta.

Publicidade

Os funcionários dos Correios reivindicam aumento salarial de 5% para a categoria e pedem a permanência de vários benefícios, como assistência médica, vale-cultura e programa de participação nos lucros ou resultados (PLR).

Publicidade