Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Quanto maior o salário, menor a chance de uma mulher ser contratada

Quando a remuneração ultrapassa dez salários mínimos, a quantidade de homens contratados a mais que a de mulheres dá um salto

Por Machado da Costa
Atualizado em 24 set 2018, 17h35 - Publicado em 24 set 2018, 08h52

Para cada 1.000 mulheres contratadas em 2018, no Brasil, com remuneração maior do que vinte salários mínimos, foram empregados 3.120 homens – uma diferença de 212%. Na faixa de ordenados até dois salários mínimos, no entanto, o número cai para 1.510 homens contratados para cada 1.000 mulheres (51% a mais).

Segundo os dados de geração de emprego divulgados na última sexta-feira pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, é possível chegar à conclusão que, quanto mais alto o salário, maior a chance de um homem ser contratado para o cargo.

VEJA cruzou os dados de gênero e nível salarial das contratações realizadas entre janeiro e agosto de 2018. Quanto maior a remuneração, maior a quantidade de homens contratados em detrimento à de mulheres.

Entre dois e cinco salários mínimos, o número de homens admitidos em relação ao de mulheres é de 109%. A diferença diminui nas faixas salariais de cinco a sete salários mínimos e de sete a dez salários mínimos: 66% e 86%, respectivamente.

Continua após a publicidade

A partir dos cargos com dez a vinte mínimos ou mais de remuneração, a diferença na quantidade de homens contratados e na de mulheres aumenta para 124%. Ou seja, para cada 1.000 mulheres empregadas com essa faixa salarial, outros 2.240 homens foram admitidos.

.

Continua após a publicidade

Baixos salários

Os dados do Caged também permitem concluir que empregos mais bem remunerados estão ficando cada vez mais escassos no Brasil. E isso acontece com ambos os sexos.

A única faixa de renda na qual o número de vagas formais apresentaram um crescimento é a que compreende de zero a dois salários mínimos.

Continua após a publicidade

Todas as outras, de dois até acima de 20 salários mínimos, apresentaram queda. Essa mudança no perfil do emprego acontece também para ambos os sexos

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.