Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Puxada por Páscoa, vendas nos supermercados sobem 12,2% em março

O resultado acumulado de janeiro a março é o melhor para o período desde 2013, de acordo com a Abras

Em março, as vendas nos supermercados cresceram 12,2% em comparação ao mesmo mês em 2017, segundo o Índice Nacional de Vendas divulgado pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras). No acumulado do ano, a alta é de 2,28% em relação ao primeiro trimestre do ano passado.

O aumento é o melhor resultado acumulado no período desde 2013, de acordo com o Índice Nacional de Vendas da Abras, apurado pelo Departamento de Economia e Pesquisa da entidade. A alta é ainda maior se a comparação for em relação a fevereiro. Neste caso, as vendas do setor cresceram 17,23%.

Segundo a Abras, o desempenho está relacionado ao calendário. “O bom resultado foi decorrente das vendas do período de Páscoa, segunda data mais importante para o setor. Em 2017, a data caiu na segunda quinzena de abril, o que fez com que parte das vendas ficasse naquele mês”, disse o presidente da Abras, João Sanzovo Neto. Março também se beneficiou em relação a fevereiro porque teve três dias a mais.

A diretora de marketing da Kantar Worldpanel, Christine Pereira, diz que o que mais cresceu até fevereiro foi o segmento do atacarejo. Se o hipermercado e o supermercado tiveram alta nominal de 6,9%, no atacarejo o crescimento foi de 12,2%. A Kantar é especializada em pesquisa de mercado. 

“O brasileiro se tornou multicanal nos últimos anos. Ele faz a compra para abastecimento no atacarejo e depois faz a reposição no mercado de vizinhança”, exemplifica. Ela conta que, em 2013, os consumidores usavam cinco canais de compra; em 2017 subiu para sete. “O consumidor está fazendo escolhas mais conscientes e a lealdade é menor”, completa Christiane.

Até fevereiro, segundo a Kantar, diz todas as categorias de consumo registraram crescimento, como alimento, bebida, higiene, limpeza. No ano passado, o brasileiro priorizou os gastos básicos. Em compensação, outros gastos caíram, como lazer (incluindo viagens), festas e vestuário. “Esses itens estavam crescendo até 2014, mas depois andamos para trás”, diz. 

Preços menores

Outro dado divulgado é a queda de 0,9% dos preços de produtos vendidos em supermercados brasileiros em março de 2018 na comparação com fevereiro, de acordo com a Abrasmercado. A cesta, composta por 35 produtos, passou de 442,88 reais para 438,83 reais. A pesquisada foi feita pela GfK e analisada pelo Departamento de Economia e Pesquisa da Abras. Já na comparação entre março de 2017 e 2018, a queda neste ano foi de 5,74%.

As maiores altas foram farinha de mandioca (4,08%), leite longa vida (4,01%), ovo (2,68%) e queijo mussarela (2,59%). O tomate, que já foi muitas vezes vilão da inflação, é o alimento que registrou a maior queda (-10,51%), seguido pelo feijão (-6,03%), pela batata (-4,87%) e pela cebola (-2,92%).