Clique e assine a partir de 8,90/mês

Prévia da inflação no acumulado do ano é a maior desde 2003

De janeiro a setembro, IPCA-15 atingiu 7,78%, o maior nível para o período desde 2003, quando ficou em 8,46%. Apenas em setembro, índice subiu 0,39%

Por Da Redação - 22 set 2015, 09h31

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), indicador prévio da inflação oficial, ficou em 0,39% em setembro após subir 0,43% em agosto, segundo dados divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No acumulado de janeiro a setembro, o IPCA-15 atingiu 7,78%, o maior nível para o período desde 2003, quando alcançou 8,46%. Em doze meses, o índice somou 9,57%, o maior número desde dezembro de 2003 (9,86%).

Passagens aéreas e gás de botijão foram os itens que mais pesaram para o resultado de setembro, respondendo por um terço do índice do mês. Com avanço de 23,17% das passagens aéreas, o grupo com o maior índice foi o de Transportes (0,78%), seguido de Habitação (0,68%), que foi pressionado pela alta de 5,34% do botijão.

Por região, o maior índice foi visto em Brasília (0,75%), influenciado pela alta de passagens aéreas, energia elétrica, e gás de botijão. O resultado da energia elétrica refletiu o reajuste de 18,26% em vigor desde o dia 26 de agosto e o do gás foi decorrente do reajuste de 15% concedido em 1º de setembro. O menor índice foi o da região metropolitana de Salvador (0,17%) onde os alimentos consumidos em casa apresentaram queda de 0,89%.

Segundo o último boletim Focus, divulgado pelo Banco Central (BC), na segunda-feira, a estimativa é de que o IPCA feche o ano de 2015 em 9,34%. Se confirmada, será o maior índice em doze anos, ou seja, desde 2003 – quando somou 9,30%.

Leia mais:

Fraude da Volkswagen é um trauma para a empresa – e para o orgulho alemão

Presidente da Petrobras pede adiamento de votação sobre mudança no regime de partilha

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade