PIB da Grécia desaba 6,2% no 1º trimestre

Contudo, dado veio menos pior do que a queda de 7,5% do PIB nos últimos três meses de 2011

Por Da Redação - 15 maio 2012, 08h15

Em meio às tensões políticas e as discussões sobre o plano de austeridade fiscal, a economia grega teve contração de 6,2% no primeiro trimestre de 2012, segundo dados divulgados nesta terça-feira. Contudo, o dado veio menos pior do que a queda de 7,5% do Produto Interno Bruto (PIB) nos últimos três meses de 2011.

Em março, o Banco Central grego advertiu para o risco de uma recessão mais forte que a esperada este ano, com uma queda estimada do PIB de 4,5%. Em 2011, o PIB retrocedeu 6,9%. Este é o quinto ano consecutivo de recessão na Grécia, que também passa por uma grave crise política.

Desde o dia 6, os parlamentarres eleitos não conseguem se entender com relação à política econômica do país. No fim de semana, líderes partidários foram convocados para uma reunião com o presidente grego, Karolos Papoulias. Porém, o partido Syriza se recusou a participar de um governo de coalizão que implante as medidas de austeridade fiscal impostas pela União Europeia em troca de ajuda. Se nenhum acordo for costurado até quinta-feira, novas eleições devem acontecer em junho para escolher novos parlamentares.

Toda essa turbulência tem aumentado os rumores de que a Grécia poderia deixar a zona do euro em breve. A nebulosidade fez com que o dólar ultrapassasse a barreira de 2 reais e as bolsas do Brasil e do mundo caíssem.

Publicidade

A Comissão Europeia (CE) – braço político da União Europai (UE) – espera que a Grécia continue a fazer parte da zona do euro, mas reitera que o país precisa respeitar suas obrigações. “A posição da Comissão continua totalmente inalterada: queremos que a Grécia tenha condições de permanecer no euro. Isso é o melhor para a Grécia, para o povo grego e para a Europa como um todo”, disse a porta-voz da Comissão, Pia Ahrenkilde Hansen, em coletiva de imprensa.

Também nesta terça-feira, uma fonte do governo grego informou que o país reembolsará títulos soberanos no valor de 436 milhões de euros a portadores que se negaram a trocar os bônus na operação de reestruturação da dívida realizada em março. Com os juros, o valor total deve se aproximar de 450 milhões de euros.

A Eurostat divulgou nesta terça-feira o PIB da zona do euro e da União Europeia (UE), que se mantiveram estáveis no primeiro trimestre do ano. A economia europeia fica assim à beira da recessão, depois da queda de 0,3% que os dois blocos registraram nos últimos três meses de 2011.

(com AFP)

Publicidade