Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mercado projeta dólar a R$ 1,95 no fim de 2012

Por Fernando Nakagawa

Brasília – A taxa de câmbio para o fim de 2012 permanece abaixo de R$ 2 nas estimativas dos analistas consultados na pesquisa Focus divulgada na manhã desta segunda-feira pelo Banco Central. A mediana das projeções para o preço da moeda estrangeira no fim deste ano seguiu em R$ 1,95. Para o fim de 2013, manteve-se em R$ 1,90. Há um mês, analistas previam dólar a R$ 1,90 no fim de 2012 e a R$ 1,87 no fim de 2013.

Na mesma Focus, o mercado financeiro manteve a previsão de taxa média de câmbio para 2012 em R$ 1,92. Para 2013, a estimativa de câmbio médio caiu de R$ 1,91 para R$ 1,90. Há um mês, a pesquisa apontava que a expectativa estava em R$ 1,90 em 2012 e em R$ 1,85 no próximo ano.

Contas externas

O mercado financeiro reduziu as previsões de déficit em transações correntes em 2012 e 2013. A mediana das expectativas de saldo negativo em conta corrente neste ano nesta pesquisa Focus passou de US$ 65 bilhões para US$ 64,61 bilhões. Há um mês, a expectativa estava em US$ 68 bilhões.

Para 2013, a previsão de déficit nas contas externas caiu de US$ 71,5 bilhões para US$ 71,13 bilhões. Quatro semanas antes, analistas esperavam déficit em transações correntes de US$ 72 bilhões no próximo ano.

Na mesma pesquisa, economistas reduziram as estimativas de superávit comercial. Para 2012, a previsão de saldo positivo recuou de US$ 20 bilhões para US$ 19,2 bilhões. Para o ano seguinte, a estimativa caiu de US$ 15 bilhões para US$ 14,78 bilhões. Um mês antes, analistas previam superávit da balança comercial de US$ 20 bilhões e US$ 15 bilhões, respectivamente.

A pesquisa mostrou ainda que as estimativas para o ingresso de Investimento Estrangeiro Direto (IED), aquele voltado ao setor produtivo, foram mantidas em US$ 55 bilhões para 2012 e em US$ 59 bilhões para 2013. Há um mês, analistas esperavam entrada de US$ 55,05 bilhões e US$ 59 bilhões, respectivamente, em cada um dos dois anos.

IGPs

As projeções para os IGPs em 2012 voltaram a subir nesta pesquisa Focus. De acordo com o levantamento, a mediana das estimativas para o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) neste ano subiu de 5,90% para 5,94%. Para 2013, seguiu em 4,90%. Quatro semanas atrás, o mercado previa altas de 5,84% e de 4,90%, para cada um dos dois anos, respectivamente.

Para o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), que corrige a maioria dos contratos de aluguel, a expectativa para 2012 também subiu e passou de 5,70% para 5,87%. Quatro semanas atrás, o mercado previa alta de 5,66%. Para 2013, a estimativa do IGP-M seguiu em 5% pela nona semana.

A pesquisa também mostrou que a previsão para o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) em 2012 manteve-se em 4,54%. Há um mês, a expectativa dos analistas era de alta de 4,62% para o índice que mede a inflação ao consumidor em São Paulo. Para 2013, a mediana das estimativas para o IPC da Fipe seguiu em 4,96%. Há quatro semanas, estava em 5%.

Economistas mantiveram a estimativa para o aumento do conjunto dos preços administrados – as tarifas públicas – em 2012 em 3,50%. Um mês atrás, a previsão estava em 3,60%. Para 2013, a previsão de alta dos preços administrados manteve-se em 4,50% pela 125.ª pesquisa consecutiva.